• Publicado em

    Aluno é apreendido após dizer no WhatsApp que faria massacre em escola

    “Só quero matar. Não vou ter escolha”, escreveu o jovem. Após ser apreendido pela PMDF, ele disse que objetivo era apenas assustar os alunos

    De acordo o site Metrópoles, um adolescente de 17 anos foi apreendido pela Polícia Militar do DF, nesta quinta-feira (12/4), depois de ameaçar, via WhatsApp, atacar a escola onde estuda, o Centro de Ensino Médio 3, na Quadra 11 da Área Especial, no Setor Sul do Gama, e tirar a vida de alunos, professores e funcionários. “Só quero matar. Não vou ter escolha”, escreveu o jovem.

    Segundo informações preliminares da Polícia Militar, o rapaz teria divulgado uma conversa com a foto de uma arma e dito que faria uma chacina no colégio. “Tô querendo fazer isso já tem tempo. Mano, só conheço você que tem o sangue frio igual a mim. Se não me ajudar, vou te matar igual a todos. Não vai para a escola amanhã”, disse em outra mensagem.

    Assustados, alunos e professores acionaram a PMDF, que montou uma operação no local para evitar o ataque. Ao ser detido, o adolescente disse aos policiais ter divulgado as mensagens para assustar os outros alunos.

    Ele teria baixado um programa similar ao aplicativo de conversa WhatsApp a fim de simular e espalhar a informação. Em um dos trechos da conversa, o jovem pede ajuda a uma terceira pessoa para cometer o crime.

    A polícia investiga se houve simulação ou se realmente o estudante convidou outra pessoa para agir com ele. Com o menor, não foi encontrada arma. Ele foi levado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), responsável por investigar o caso. A Polícia Civil ainda não se manifestou sobre a ocorrência.

    Veja as mensagens: