• Publicado em

    Blogueira goiana que mentiu para manter pensão diz que vai devolver dinheiro

    Danila Guimarães afirmou que não sabia que estava fazendo algo errado

    Após denúncias de que a blogueira de moda Danila Guimarães teria omitido união estável para continuar recebendo pensão pela morte do pai, ela afirmou que vai devolver o dinheiro. A afirmação foi feita por meio de um desabafo postado nas redes sociais, nesta terça-feira (14).

    Sexta-feira, meu mundo caiu. Fui acusada de ter sido desonesta. Fiquei em choque, insegura, sem reação. Não conseguia entender como aquilo chegou a esse ponto”, escreveu.

    De acordo com o G1, a blogueira disse que não sabia que estava fazendo algo de errado e afirmou que vai devolver os R$ 732.456,88. No texto, Danila disse que a pensão foi interrompida em 2017. Na época, um advogado teria instruído que ela enviasse ao Ministério da Fazenda uma declaração de “ausência de união estável” para resolver a questão.

    Danila contou que teria negado a assinar o documento, pois vivia com o companheiro. No entanto, o advogado teria garantido que “para caracterizar união estável teria que ter um documento no cartório ou uma decisão judicial”.

    Segundo a reportagem, a blogueira disse que buscou outro profissional após receber uma denúncia do Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) por uso de documentos falsos e estelionato. Foi então que Danila declarou que “não sabia” que havia feito algo errado.

    “Minha declaração deveria ter constado união estável. Eu não sabia”, revelou.

    No fim do texto, a blogueira, que 606 mil seguidores nas redes sociais, afirmou que vai pegar um empréstimo para poder pagar o que deve a Justiça Federal.

    Boa noite amoras!! Qdo meu pai faleceu, deixou pra mim uma pensão q sempre tive como uma herança, que a dedicava a minha mãe. Ela foi interrompida no ano passado e quis entender o motivo. Consultei um advogado q me disse para juntarmos documentos no processo, e um deles era o formulário da declaração de ausência de união estável do Ministério da Fazenda, q me colocou para assinar. Eu disse q não poderia assinar pq eu vivia com o Sérgio. Nunca escondemos de ninguém. Ele me disse q para caracterizar união estável teria q ter um documento no cartório ou uma decisão judicial. Foi feita, ainda, uma declaração de renda deixando claro q para ele só importava os valores tributáveis. Ele me explicou q distribuição de lucros não é, e o único valor q tenho é do meu pró-labore de R$880. Sai de lá com a certeza q estava tudo certo. Sexta-feira, meu mundo caiu. Fui acusada de ter sido desonesta. Fiquei em choque, insegura, sem reação. Não conseguia entender como aquilo chegou a esse ponto. Precisava de socorro. E o pavor de procurar um advogado de novo? Achei um q me explicou tudo. Demorou muito pq o processo está em segredo de justiça, e ele só teve acesso ontem à noite. Amoras, união estável precisa ser reconhecida judicialmente, ou possuir um contrato em um cartório. Isso para todos os fins, menos para o fim previdenciário. Minha declaração deveria ter constado união estável. Eu não sabia. Falo isso pq qlquer uma poderia se prejudicar como eu. Uma má instrução pode ser muito cara. Pessoas duvidaram de mim, me xingaram, me fizeram sofrer. Aquele dinheiro que direcionava para minha mãe, ajudando-a, achando q estava sendo correta, honesta e usufruindo de um direito q tinha herdado do meu pai, vai ser integralmente depositado na Justiça Federal. Não o tenho todo, mas estou junto ao banco para empréstimo, pois é um problema q me envolvi sozinha e q assim vou resolver com o meu trabalho. Obrigada a todas q souberam aguardar minha posição, antes de fazer qualquer pré-julgamento e q até sem entender, como eu tb não entendia, me apoiaram de maneira incondicional justamente por saberem q eu jamais seria capaz de atos tão graves como estão me acusando! O pior já passou!!

    Uma publicação compartilhada por DANILA GUIMARÃES (@danilaguimaraes) em