• Publicado em

    Comerciante que matou 5 pessoas da família foi preso quando tentava receber dinheiro para fugir

    Acusado vendeu o carro para financiar a fuga e retornou à cidade para receber o pagamento

    O comerciante acusado de incendiar a própria casa e matar cinco pessoas da família em Feira de Santana, cerca de 110 km de distância de Salvador, foi preso quando tentava receber o dinheiro da venda de um carro.  

    A investigação conduzida pela 1ª DH (Delegacia de Homicídios), de Feira de Santana, apurou que Gilson de Jesus Moura, 49 anos, havia vendido o carro para financiar a fuga e retornou à cidade para receber o pagamento. O veículo utilizado por ele foi localizado no bairro Santo Antônio dos Prazeres.

    O delegado João Rodrigo Uzzum, coordenador da 1ª Coorpin (Coordenadoria Regional de Polícia do Interior) de Feira de Santana, informou que o comerciante premeditou o crime depois de uma discussão com a mulher, Ana Cristina de Jesus, de 37, durante uma festa no fim do ano.

    Depois da briga do Réveillon, o acusado comprou cinco litros de combustível e escondeu no imóvel. Na madrugada de quarta-feira (4), ele jogou gasolina nos filhos e na mulher e trancou a casa, fugindo para a cidade de Capim Grosso. Em seguida, ele disse ter ido para Jacobina e Irecê e retornado a Feira, na madrugada desta sexta-feira (6), quando foi preso pela Polícia Militar.

    Ao ser apresentado à imprensa na sede da Polícia Civil, na Piedade, o comerciante assumiu a autoria do crime, mas alegou não se recordar dos fatos daquele dia.

    Há dez anos, Gilson e Cristina chegaram a se separar depois que ele a esfaqueou nas costas, numa discussão por ciúmes. Dezenas de familiares e vizinhos do conjunto habitacional, onde o casal morava e mantinha um bar, foram ouvidos ao longo da investigação e informaram que a relação dos dois era marcada por brigas violentas.

    Os corpos das vítimas ainda aguardam identificação do DPT (Departamento de Polícia Técnica) de Feira de Santana. Segundo o perito Celso Danilo, os familiares entregaram fotos e documentos que podem auxiliar na identificação das vítimas. O perito revelou que “caso não seja possível identificá-los por meio da arcada dentária, faremos exames de DNA”. Os exames nos corpos revelaram que as mortes foram causadas por ação do fogo e não apresentavam nenhum outro tipo de lesão.

    A delegada Larissa Lage, da DH/Feira, informou que a polícia solicitou o mandado de prisão de Gilson à Justiça, que foi prontamente expedido, assim como o acompanhamento da conta bancária e das ligações telefônicas do acusado, para auxiliar na sua localização. O comerciante deverá ser recambiado para sistema prisional ainda nesta sexta-feira.

    O comerciante vai responder por cinco homicídios qualificados, duas tentativas de homicídios e um crime de aborto. via R7

  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook