• Publicado em

    Crítica Musical: Competência vocal: Novo disco de Paulo Miklos marca uma nova fase na carreira do ex-Titãs

    "A Gente Mora No Agora" transborda romantismo e põe o cantor no hall dos grandes nomes da MPB; Trabalho traz a colaboração de Nando Reis, Arnaldo Antunes e outros nomes da música

     

    *Coluna Crítica Musical
    *Jornalista / Editor Geral BH/MG
    *Colaborador (Portal JTI)

    *Felipe José de Jesus
    *?Avaliação do álbum: Cinco estrelas
    *?Avaliação máxima: Cinco estrelas
    *Siga o Instagram?: @felipe_jesusjornalista_

     

    “Estou vivo, estou pronto, estou amando de novo, O meu destino é ser feliz”. Esse trecho faz parte da música Estou Pronto, sétima faixa do novo disco solo de Paulo Miklos intitulado por “A Gente Mora No Agora” que sem querer foi um prelúdio do que viria a acontecer de bom na carreira do ex-Titãs. Com o novo trabalho que já está muito bem cotado na mídia nacional, Miklos vira uma página de 34 anos no grupo Titãs e sela uma nova fase em sua carreira musical.

    O disco é o seu terceiro álbum de estúdio e registra de vez o seu voo solo, ja que o primeiro disco Paulo Miklos (1995) e Vou Ser Feliz e Já Volto (2001) foram feitos com ajuda dos ex-companheiros de banda do Titãs. No entanto, em vez de guitarras pesadas e letras ligadas a questões sociais e até mesmo políticas, A Gente Mora No Agora traz um romantismo em meio a violões bem afinados e pianos magníficos.

    Lançado pela Deck, o álbum conta com 13 faixas que mostram diversas influências da música brasileira e uma atuação vocal impecável do ex-Titãs, que passeia pelas canções falando sobre os mais diversos assuntos. O disco foi produzido por Pupillo (Nação Zumbi), com coprodução de Apollo Nove, e nomes importantes da música como Emicida em “A Lei Desse Troço”, Arnaldo Antunes em “Deixar de Ser Alguém”, Mallu Magalhães escreveu “Não Posso Mais” e Tim Bernardes (O Terno) em “Samba Bomba”.

    Capa do terceiro e novo disco do cantor Paulo Miklos Imagem: Divulgação artista

    Em entrevista recente, Paulo Miklos disse que o álbum foi uma forma de mostrar toda a sua formação musical. “Eu queria fazer um disco em que pudesse mostrar, de forma bem explícita, a minha formação de música brasileira. São parceiros de gerações diferentes, que admiro demais. Como intérprete, costurei todos eles e dei uma unidade ao trabalho”, comentou o cantor que traz desde o Pop até o Samba em seu novo trabalho.

    Entre as 13 faixas que compõe o novo trabalho, três me chamaram bastante atenção como: A Lei Desse Troço (Emicida); Todo Grande Amor e Estou Pronto, que foi uma das músicas que eu mais gostei do disco e que traz uma letra belíssima. Mas vale lembrar que o novo trabalho de Miklos traz mais 10 canções de peso como: Vigia; Risco Azul; Vou Te Encontrar; País Elétrico; Não Posso Mais; Princípio Ativo; Afeto Manifesto; Samba Bomba; Deixar De Ser Alguém e Eu Vou que fecha o álbum.

    Otimismo e olhar ))

    A Gente Mora No Agora é um álbum otimista e mostra um Miklos mais alegre e talvez mais engajado com o rumo que a música vem tomando nos meios digitais. Prova disso é que na própria Internet, o cantor tem marcado o seu espaço e diariamente mostrado entrevistas e participações em programas de TV e rádios. Sabemos que atualmente a batalha musical se trava na Internet e não mais na vendagem de discos. Todavia, enquanto alguns artistas estão perdendo qualidade musical por causa do imediatismo exacerbado da internet, Miklos consegue aliar competência e maestria e dá de presente para o público o que qualquer artista sempre deveria oferecer aos seus fãs: um trabalho firme e prazeroso de escutar. Como grandes nomes da música, Miklos com certeza se firma no hall das novas apostas da MPB.

    Avaliação ))

    Avalio o disco com quatro estrelas porque mesmo não sendo um álbum de Rock, senti falta do estilo mais Pop/Rock visto no seu segundo disco solo: Vou Ser Feliz e Já Volto (2001). O novo álbum já esta disponível nas plataformas digitais como Spotify / Deezer e também no formato físico. Você já escutou A Gente Mora No Agora? Se não, escute porque como uma joia preciosa, esse disco deve ser preservado e apreciado “sem moderação”. Até a próxima coluna Crítica Musical. Escute o áudio de Vou Te Encontrar que faz parte do novo trabalho de Paulo Miclos.



  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook