• Publicado em

    Deputado Victor Priori é o que mais falta na assembleia legislativa diz jornal

    Victor Priori foi o único deputado que não esteve em mais da metade das sessões.

    Matéria publicada pelo Jornal O Popular, revela que após levantamento no Portal Transparência foi constatado que parlamentares goianos faltaram 713 vezes em 2017.

    A lista dos cinco deputados mais ausente é liderada pelo deputado de Jataí Victor Priori (PSDB), seguido por Claudio Meirelles (PR), DR, Antônio (PR), Paulo Cezar Martins (PMDB) e Eliane Pinheiro (PMN).

    Victor Priori foi o único deputado que não esteve em mais da metade das sessões: alcançou 55,2% de ausência, sendo 12 faltas e 51 justificativas, a maioria delas por reunião com lideranças no interior do Estado, explicação de mudança no regimento interno.

    O tucano, que é terceiro suplente, tomou posse em fevereiro de 2017, com o pedido de licença de Lêda Borges (PSDB), para assumir a secretaria da mulher no governo estadual – com o retorno da deputada no inicio de fevereiro deste ano, ele volta à suplência.

    Desde então, Priori apresentou três requerimentos para viajar, fora do período de recesso parlamentar (julho e dezembro). Dois dos pedidos foram realizados em maio ( de 5 a 15 e de 22 a 29); o terceiro foi em setembro para viagem a Paris, na França, e a Bruxelas, na Bélgica. Todas as viagens, segundo os documentos, foram feitas com recursos próprios.

    O único projeto de lei assinado pelo deputado é compartilhado com seu colega de partido José Vitti. O Popular entrou em contato com ele, mas foi informado de que ele estava na fazenda e não poderia responder.

    Sua chefia de gabinete, porem, disse que o “deputado implementou um novo estilo de trabalho” e que suas ausências são justificadas, visto que ele “participa de muitos eventos e reuniões no interior”, junto ao setor rural, o qual representa.

    Ressaltou também que Priori é “o deputado mais barato do Centro-Oeste”, pois “praticamente não gastou recursos da Assembleia, enquanto esteve no mandato.” Levantamento no uso de verba indenizatória mostra que o deputado só pediu reembolso em dois meses, junho e agosto.

    Leia a matéria do O Popular completa clicando aqui.