• Publicado em

    Estuprada quando criança, mulher confessa que matou o pai por vingança

    O vídeo, que é de julho de 2015, voltou a circular nas redes sociais como se fosse recente. Na entrevista a presa, Rosângela dos Santos de Aguiar, de 22 anos, conta que não se arrepende, já que o homem que ela matou a estuprou quando ela tinha de sete para oito anos.
    COMPARTILHE

    Em entrevista concedida à emissoras de TV, uma mulher confessa ter matado o próprio pai e estar feliz por isso, pois está ajudando outras mães e crianças a se livrarem de um estuprador.

    O vídeo, que é de julho de 2015, voltou a circular nas redes sociais como se fosse recente. Na entrevista a presa, Rosângela dos Santos de Aguiar, de 22 anos, conta que não se arrepende, já que o homem que ela matou a estuprou quando ela tinha de sete para oito anos.

    “Ele não pensou em nada quando me estuprou, por que eu tenho que pensar nele?”.

    Rosângela não agiu sozinha outros três homens e uma adolescente a apoiaram no homicídio, ocorrido em Casserengue, cidade rural a 152 km de João Pessoa, na Paraíba.

    E, na época, o caso ficou famoso no Nordeste por conta dos contornos de sociopatia que envolveram a ação criminosa. Segundo constam nas reportagens, a filha chegou a beber o sangue depois que matou o pai, Geraldo Rivaldo de Aguiar, de 45 anos de idade.

    Conforme a #Polícia Civil, Rosângela teria ido à zona rural do município, onde morava o pai no dia 15 de julho de 2015. Com ela estavam Kalleo Rosendo, de 23 anos de idade, José Carlito de Sousa, de 26, além de um mototaxista, depois identificado como Alexandre Carneiro de Sousa, de 34 anos, e uma garota de 16 anos, cujo nome não foi divulgado.

    Os investigadores apuraram que os dois primeiros homens teriam atirado no homem. Já o mototaxista colaborou no transporte do grupo. A menor teria ficado na função de dar cobertura para que os adultos agissem. Rosângela, por sua vez, teria usado uma das armas dos parceiros e também disparado contra Geraldo. Depois ela ainda tentou degolá-lo, ou seja, arrancar-lhe a cabeça.

    Apenas no dia seguinte a polícia iniciou o esclarecimento da morte, ao prender Rosângela, dois de seus comparsas mais a adolescente. Eles foram capturados em Arara, onde residiam. Ao longo da investigação, os policiais descobriram a participação do mototaxista, que também foi preso depois e confessou ter colaborado.

    Ainda conforme a Polícia Civil, Rosângela era casada com José Carlito de Sousa, ao passo que a adolescente morava com Kalleo Rosendo. Ficou constatado que os dois casais moravam na mesma casa e ganhavam a vida como traficantes de drogas em Arara. O mototaxista era apenas um consumidor do bando.

    Rosângela nunca havia sido fichada da polícia, mas conta que chegou a ser viciada em crack, tendo conseguido largar o vício recentemente.

    O vídeo que está circulando na web não mostra, mas Rosângela disse que queria cortar a cabeça o pai por vingança e que os planos era enfiá-la em uma estaca.




  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook