• Publicado em

    ‘Falhei e custou a vida deles’, diz mãe sobre morte dos dois filhos

    O suspeito é o ex-marido, que, após o crime, jogou-se do apartamento onde morava
    COMPARTILHE

    Andreia Magalhães, mãe de Maria Nina, 10 anos, e Bernando, 6, mortos a facadas pelo ex-marido. Depois da barbárie, o homem se jogou do quinto andar do apartamento onde morava, na madrugada do último domingo (5), no Rio. Vestida de luto, Andreia diz que a ficha ainda não caiu. “Pra mim, meus filhos não morreram. Eles estão viajando e daqui a pouco vão chegar aqui, como sempre chegavam, correndo”, disse.

    Cinco dias após o crime que pegou a mãe das vítimas de surpresa, ela contou ao EXTRA sobre seu casamento com Cesar Antunes Junior. Foram quase 12 anos de união. “Ele era uma pessoa extremamente envolvente, inteligente e muito carinhosa. Engraçado, né?”, comentou, acrescentando que ele era a pessoa que mais a fez mal, mas também a que mais deu carinho. “É tão contraditório”, destacou.

    A suspeita da polícia e da própria Andreia é que o ex-companheiro tenha cometido o crime por ciúmes e inconformismo pelo término do relacionamento. No sábado, dia que antecedeu a tragédia, ela comemorou seu aniversário e postou fotos nas redes sociais. Ele viu. Segundo a mãe de Nina e Bernardo, apesar de Cesar ter se irritado ao ver a felicidade estampada no rosto de Andreia nas imagens, o crime seria cometido de qualquer maneira.

    “Ele estava planejando isso. Acho que ele quis dar um dia extremamente feliz para as crianças no sábado porque já estava com tudo planejado”, afirmou. Andreia também contou, em detalhes, sobre o fim do casamento. Ela disse que precisava “sair daquilo pra ficar bem”. Ela não conseguiu, afirmou à reportagem. “Eu falhei e infelizmente isso custou a vida dos meus filhos”, lamentou.

    Questionada sobre o que aconteceu na madrugada do domingo, Andreia relatou que recebeu ligações do ex por volta das 3h. “Ele ligou pro telefone de casa, minha mãe atendeu e passou pra mim”. A ligação era para informar que Bernardo, o caçula, estava com febre e que tinha tomado analgésico, mas o garoto não apresentou melhora. “Pra mim, nessa hora, ele já tinha matado as crianças. Ele queria que eu fosse lá na casa dele”, disse.

    Uma hora depois, ela recebeu outra ligação de Cesar e comunicou que estava a caminho do apartamento dele. “Ele disse que não precisava mais porque as crianças estavam mortas. E falou que mandaria as fotos deles e se jogaria”. Minutos depois, contou Andreia, chegaram as fotos das crianças. “Entrei em pânico”, desabafou.

    Depois de perder os filhos de uma forma drástica, Andreia só espera que as crianças estejam em um lugar bom e que sejam bem acolhidos. “Minha única preocupação é eles estarem bem”. O futuro, segundo ela, é viver um dia de cada vez. “Ser mãe era o sonho da minha vida”.




  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook