• Publicado em

    #HinoNacional: Pedido do MEC gera debate nas redes sociais

    Órgão pede que execução do Hino Nacional nas escolas seja gravado

    Na tarde da última terça-feira (26), as hashtags #HinoNacionalNasEscolas e #HinoNacionalSim se encontravam em segunda e terceira colocação no trends topics do Twitter – que mostra quais são os assuntos mais comentados na rede. Os tópicos ficaram entre os mais comentadas nacionalmente, depois de uma polêmica envolvendo o Hino Nacional, o Ministério da Educação (MEC) e ministro Ricardo Vélez Rodríguez.

    Na segunda-feira (25), escolas públicas e particulares – da educação básica –  do país, receberam um e-mail do Ministério da Educação (MEC) com uma mensagem do ministro Ricardo Vélez Rodríguez pedindo que a mesma seja lida. A orientação era que fosse executado o Hino Nacional e que os estudantes fossem filmados durante o ato.

    Leia também: Questionário nas escolas mensura casos de gravidez na adolescência  

    O Ministério da Educação ressaltou que o comunicado enviado às escolas apresenta um pedido de cumprimento voluntário e que a atividade faz parte da política de valorização das símbolos nacionais. Entretanto, com a citação às frases “Brasil acima de tudo” e “Deus acima de todos”, o ministro faz referência ao bordão da campanha do atual presidente, usado nas eleições. Com isso, as críticas nas redes sociais aumentou.

    As Secretarias de Educação de alguns estados também já informaram, por meio de notas, ter recebido com “surpresa” o pedido do MEC. Ente elas, o governo pernambucano chegou a declarar que não vai cumprir o pedido do ministério. “A proposta fere o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) no que se refere ao direito à liberdade, ao respeito e à dignidade dos alunos. Além do respeito à preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, ideias e crenças”, diz a nota publicada no site do órgão.

    No Twitter, o professor Pedro Ernesto (@PedroErnestUFES) deu a sua opinião sobre o assunto. “O problema nunca foi cantar o Hino Nacional. Mas repetir slogan de campanha eleitoral dentro das escolas. O nome disso é doutrinação. Vargas fez a mesma coisa na época da ditadura do Estado”. Já André Stetelle (@AndreStetelle) é contrário à sua opinião. “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos. Isso é maravilhoso! Onde está o problema? Autorizo meu filho cantar o Hino Nacional e também aprender que Deus está acima de todos”, assegurou.

    De acordo com o MEC, a mensagem enviada as escolas foi: “Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”.

    Carta atualizada

    Como a citação às frases “Brasil acima de tudo” e “Deus acima de todos” faz referência ao bordão da campanha do presidente nas eleições, o MEC enviou, nesta terça-feira (26), às escolas do país uma nova versão da carta. O órgão sinalizou que a carta atualizada deveria ser lida a pedido do ministro, que reconheceu o equívoco.

    A carta atualizada tem a seguinte mensagem: “Brasileiros! Vamos saudar o Brasil e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração”.

     

    Bárbara Maria – Agência Educa Mais Brasil
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.