• Publicado em

    Imprensa australiana chama goleada de lição do ‘nº 1 do mundo’

    Brasil venceu os donos da casa por 4 a 0 na manhã desta terça
    COMPARTILHE

    A vitória por 4 a 0 do Brasil sobre a Austrália em Melbourne rendeu uma série de elogios ao time de Tite na imprensa australiana. Na maioria deles, os australianos ressaltaram como o a seleção local recebeu “uma aula” da equipe “número 1 do mundo no momento”.

    No site da rede de TV “ABC”, a manchete fala em “Brasil manda os Socceroos para a escola com vitória por 4 a 0”. “O Brasil deu uma lição de futebol para a Austrália, com uma vitória confortável de 4 a 0 aos olhos de 50 mil pessoas no MCG. Os Socceroos sabiam que estavam enfrentando o melhor time ranqueado do mundo, mas a facilidade com que os brasileiros lideram com a equipe australiana será um problema que o técnico Ange Postecoglu terá de lidar dias antes da Copa das Confederações, na Rússia”.

    O jornal “Herald Sun” foi no mesmo caminho: “Socceroos recebem uma aula do Brasil: melhores do mundo mostram o nível que a Áustrália ainda precisa atingir”. “A trajetória para a Copa do Mundo de 2018 ainda está bem encaminhada para a Austrália, mas a seleção recebeu uma aula sobre o que será preciso para chegar ao Mundial e fazer algum impacto ao jogar contra os melhores do mundo”, dizia o relato do jogo.

    O “The Age”, jornal de Melbourne, ressaltou o erro que levou ao primeiro gol: “Acabado em 12 segundos: Brasil foi muito rápido para os Soceroos”. “O técnico Ange Postecoglu está sempre aberto a testar seu time contra os melhores do mundo e encarar os desafios mais complicados. Mas nesta terça-feira, ele descobriu o quanto os melhores times do mundo podem ser bons. Seus Socceroos mostraram determinação, mas durante todo o jogo foram superados por um time do Brasil que parecia motivado pela derrota para a Argentina na sexta-feira. O placar final mostrava 4 a 0 para os brasileiros, mas na realidade poderia ser mais se os sul-americanos tivessem aproveitado as chances criadas”. Com informações da Folhapress.




  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook