• Publicado em

    Joelma abre o jogo sobre agressões de Chimbinha e garante que perdoou

    Em último episódio de violência, cantora diz que quase foi jogada da varanda e temeu pela sua vida.

    cantora Joelma revelou detalhes sobre o relacionamento traumático e a separação do marido e ex-parceiro na Banda Calypso, Cledivan Almeida Farias, conhecido como Chimbinha. As declarações foram feitas em entrevista à revista ‘Marie Claire’, publicada nesta terça-feira (6).

    Joelma conta que as agressões começaram depois de dois anos de relacionamento. “Não sei te dizer nem porquê aquilo aconteceu. Na mesma hora falei que não queria mais. Me tranquei num quarto de hotel em Belém e fiquei três dias sem sair. Eu estava com medo e teria muita vergonha se vissem meu rosto coberto por hematomas.”

    De acordo com a cantora, Chimbinha costumava agredi-la quando estava sob o efeito de álcool, motivado por ciúme da profissão. “Ele reclamava que profissionalmente me respeitavam mais do que ele. Isso o deixava irado.”

    Ao ser questionada sobre o motivo que a fez seguir com o relacionamento, a cantora disse que acreditou que ele “nunca mais faria aquilo”. “Era o que ele sempre dizia: que não repetiria a agressão. Parecia mesmo arrependido. Acreditei.”

    Mas parece que o músico não cumpriu com o combinado. A última agressão antes da separação aconteceu também quando o músico estava bêbado. A cantora revelou que o ex-marido ameaçou jogá-la da varanda e chegou a temer pela própria vida.

    Naquela tarde ele já estava bebendo havia uns dois dias, virado. Pedi pra alguém avisar que estava passando do limite. E essa pessoa foi chamá-lo. Estávamos numa casa em Recife, que tinha um segundo andar com uma varanda sem proteção, e lá embaixo havia um muro com umas armações de ferro. Ele veio transtornado porque eu tinha mandado chamá-lo e começou a bater a própria cabeça na parede. As pessoas escutaram e pensaram que ele estava batendo a minha cabeça na parede. Uma pessoa dizia pra outra: poxa, eu queria ir lá, mas estou com medo. Até que um cantor da banda foi. Quando ele chegou, [Chimbinha] pegou o meu cabelo, saiu me arrastando e ia me jogar lá embaixo, nos ferros. O cantor o impediu. Não sei o que aconteceria comigo. Se perderia minha vida, se ficaria aleijada.”

    Depois desse dia, Joelma comprou uma máquina de choque e “andava com ela na bolsa”. “Depois dela ele nunca mais bebeu perto de mim. Não cheguei a precisar usar a máquina com ele”, disse.

    O medo coloca uma barreira na sua frente. E muitas vezes te prende na violência. Acontece que eu precisava ser feliz. Precisava escolher um lado. Escolhi a mim.”

    A paraense afirma que não tem mais contato com Chimbinha, mas garante que já conseguiu perdoá-lo. “Esse foi o segundo perdão mais difícil da minha vida. Fiquei três noites em claro, chorando de joelhos, pedindo pra Deus tirar o ódio de dentro de mim, que era muito forte. Não foi fácil. Não consegui logo. Mas quando consegui, foi como se tivesse me voltado o ar”, relatou.

    Joelma e Chimbinha explodiram com a Banda Calypso, em 2000. Juntos, venderam mais de 22 milhões de discos e se tornaram a banda paraense de mais sucesso no Brasil. Juntos, o casal teve a filha Yasmin, hoje com 14 anos.

    Fonte/Notícia ao Minuto