• Publicado em

    Jovem é preso por matar homem e atirar oito vezes no irmão dele no velório, em Goiás

    Genarc e DP de Niquelândia prendem homicida de alto grau de periculosidade de Padre Bernardo

    De acordo a Policia Civil do Estado de Goiás, o Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc) e da Delegacia de Polícia (DP) de Niquelândia prenderam um suspeito de crimes bárbaros praticados em Padre Bernardo, na Vila Taveira, conhecida como “Povoado do Faz Tudo”, na tarde de terça-feira (07). Wallas de Oliveira Barbosa, 20 anos, que tinha contra si mandado de prisão pela prática de homicídio e tentativa de homicídio.

    O homicídio ocorreu no dia 1º de julho deste ano, no Distrito de Trajanópolis, município de Padre Bernardo. Wllas arrastou um homem para um matagal e desferiu-lhe 26 golpes de faca, matando-o ali mesmo. No dia seguinte, durante o velório da vítima, o investigado efetuou oito disparos de arma de fogo contra o irmão do falecido com a ajuda de um comparsa. Apesar do elevado número de tiros, a segunda vítima sobreviveu e relatou o ocorrido à Polícia Civil de Padre Bernardo.

    Durante as investigações, o serviço de inteligência da Polícia Civil apurou que Wallas se escondia no Povoado do Faz Tudo. Os investigadores de Niquelândia foram a campo, passaram a monitorar as proximidades do local onde seria a casa do suspeito e, no momento oportuno, efetuaram sua prisão.

    Durante a realização da abordagem, Wallas tentou se esquivar da ação policial, identificando-se falsamente como “Elizeu”, de 25 anos, que na verdade é seu irmão. Diante desses fatos, o delegado de Polícia de Padre Bernardo, no curso da investigação policial, representou por sua prisão e do outro envolvido na prática dos crimes.

    Wallas é considerado um indivíduo de alto grau de periculosidade. Ele também é investigado pela autoria de mais outros dois homicídios, bem como de assaltos em fazendas. Chama atenção suas tatuagens, que demonstram a sua personalidade criminosa. Em uma das pernas há tatuada uma caveira mexicana, que simboliza a morte. Nas costas, um demônio segurando balanças, insígnia que designa a “balança da justiça do diabo”. Wallas foi encaminhado para a unidade prisional de Niquelândia, onde permanecerá até que sua transferência para Padre Bernardo seja providenciada.