• Publicado em

    Jovem que atirou e mais 3 são indiciados pela morte de aluna em escola de Goiás

    A novidade é que a Polícia Civil desvendou mais duas pessoas que participaram indiretamente do crime.

    A delegada Rafaela Azzi, concluiu nesta segunda-feira (13) o inquérito relacionado à morte da estudante Raphaela Noviski, de 16 anos, em uma escola pública de Alexânia, em Goiás.

    Quatro pessoas foram indiciadas pela morte da adolescente, além Misael Pereira Olair, de 19 anos, que confessou ter atirado na vítima e responderá por feminicídio, foi indiciado pelo mesmo crime o comerciante Davi José de Souza, de 49 anos, que auxiliou Misael a fugir, e considerado pela polícia como seu comparsa. Outros dois homens, que não tiveram as identidades reveladas, responderão por terem vendido a arma utilizada no crime.

    O inquérito agora ira ser  remetido ao judiciário. Segundo a Delegada responsável pelo caso, a novidade é que a Polícia Civil desvendou a origem da arma de fogo usada no feminicídio.

    Terror na escola
    O crime chocou Alexânia, uma cidade com 26 mil habitantes. Raphaella foi assassinada com 11 tiros, sete deles no rosto. Na manhã de segunda (6/11), alunos e funcionários do Colégio Estadual 13 de Maio viveram momentos de terror. A correria após Misael pular o muro da escola e matar Raphaella com tiros à queima roupa foi capturada por câmeras de segurança.

    No vídeo, é possível ver o momento em que colegas saem correndo da sala onde estudava a vítima, após um estampido. Por conta dos gritos e do barulho dos tiros, pessoas que estavam em outras classes também se apressaram para entender o que acontecia. No fim da gravação, as câmeras mostram o assassino confesso fugindo do local.




    Com Informações Metrópoles e TV Anhanguera
  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook