• Publicado em

    Juiz mantém presa jovem de 18 anos que afirma ter 20 passagens pela Polícia em Goiás

    Segundo PM, Luana Alencar de Oliveira é apontada como líder de grupos de roubos de carro e de alta periculosidade.

    Segundo o site G1, o juiz Carlos Magno Caixeta da Cunha considera “espantosa” a ficha criminal de Luana Alencar de Oliveira, de 18 anos, e decidiu por mantê-la presa durante audiência de custódia realizada nesta quinta-feira (10) em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. A jovem, que confessa ter mais de 20 passagens, teve a prisão preventiva decretada pelo roubo de um carro.

    “Para mim, o roubo por si só já tem gravidade especial. Ela tem uma ficha criminal espantosa. Além da gravidade concreta do fato, tem os antecedentes de quando eram adolescentes, que sustentam a prisão preventiva”, disse o magistrado.

    Preso junto com ela, o namorado da jovem, Fernando Augusto Chagas, de 18 anos, também não quis falar sobre o caso. Durante a sessão, o defensor público Hudson Alves da Silva os representou e pediu a liberdade do casal, que não foi concedida.

    Como os antecedentes crimininais ocorreram enquanto os suspeitos tinham menos de 18 anos, eles são tratados como réus primários. Apesar de considerar que não são reincidentes, os atos infracionais embasam a decretação da prisão preventiva.

    Responsável pela acusação, o promotor de Justiça Érico de Pina Cabral destacou a necessidade de mantê-los presos, principalmente em relação a Luana.

    “Nesse caso, tecnicamente, se recomenda a manutenção do cárcere pela falta de emprego fixo e a série de delitos, que não deixa de caracterizar pela garantia da ordem pública ”, afirmou.

    PRISÃO

    A jovem foi presa pelo Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva (Giro) no Anel Viário, em Goiânia, após perseguição policial (veja vídeo abaixo). Segundo os policiais, ela tinha acabado de roubar um Hyundai HB20 no Setor dos Afonsos, quando a motorista saía de um prédio com a filha, de 2 anos. A jovem dirigia o automóvel e estava junto com o namorado, também preso no local.

    “A equipe do Giro visualizou o HB 20 roubado, deu ordem de parada, ela evadiu, bateu em cerca de 10 carros, jogou o carro contra as motos dos policiais e só parou quando o carro dela estragou”, detalhou o subcomandante do Giro, tenente Johnathan Andrade.

    Na ocasião, Luana enumerou, em um vídeo, as passagens pela polícia. “Tenho mais de 20 passagens, roubo, tentativa de latrocínio [roubo seguido de morte], tentativa de homicídio, latrocínio consumado. Fui roubar uma mulher, ela reagiu e dei um tiro na cara dela”, diz.

    HISTÓRICO DE VIOLÊNCIA

    Ao ser presa, os policiais gravaram o vídeo em que Luana confessa a autoria de 20 crimes. No entanto, a assessoria de imprensa da Polícia Civil listou seis passagens. O tenente explicou que a diferença se dá porque os atos foram cometidos quando ela era menor de idade e a maioria está em segredo de Justiça.

    “Ela não mostra arrependimento, é fria, fala das 20 passagens como se tivesse orgulho”, diz Andrade.

    Conforme os registros disponíveis, a primeira vez que Luana foi levada a uma delegacia foi em novembro de 2016, por ameaça, em Goiânia, quando ela tinha 16 anos. Menos de um ano depois, em setembro de 2017, ela voltou a ser apreendida. Desta vez, por roubo de veículo em Aparecida de Goiânia.

    Já em 8 outubro de 2017, Luana e dois homens foram apreendidos após terem sido flagrados roubando o carro de um delegado em Goiânia, no dia 5 daquele mês. Câmeras de segurança registraram a ação.

    Em um vídeo gravado no momento da apreensão, ela confessa a participação e diz que abandonou o veículo, meia hora depois, por ter constatado que a vítima se tratava de um delegado por meio de documentos e de uma arma que estava no automóvel.

    Dois dias após o assalto ao investigador, Luana tentou roubar o carro de uma mulher e atirou contra a vítima. A mulher baleada sobreviveu. Mais uma vez, câmeras de monitoramento filmaram a ação da jovem.

    Como era adolescente, Luana ficou internada em um centro para menores infratores. Ela deixou a unidade em maio de 2018.