• Publicado em

    Lavouras de milho safrinha registram perdas no potencial produtivo em Jataí (GO) devido à falta de chuvas

    Plantações estão há mais de 20 dias sem chuvas e temperaturas permanecem elevadas na região. Previsões indicam precipitações a partir do próximo final de semana na localidade. Caso se confirmem, chuvas poderão minimizar os prejuízos. Rendimento médio gira em torno de 100 a 120 scs/ha. Preços subiram de R$ 25,00 a saca para R$ 30,00 em Jataí (GO).

    LOGO nalogo

    Na região de Jataí/GO, os produtores rurais estão preocupados com a safrinha de milho que em função da falta de chuvas  e já tem perdas no potencial produtivo. Contudo, as previsões climáticas indicam chuvas para os próximos dias na localidade.

    De acordo com o produtor rural do município, Mozart Carvalho de Assis, as lavouras estão há mais de 20 dias sem chuvas generalizadas, sendo que as áreas estão em fase de pendoamento.  “Nós tivemos chuvas localizadas neste final de semana e isso não alterou as condições das lavouras. Além da estiagem, as temperaturas estão elevadas e dificulta o crescimento da planta”, destaca.

    Nesta temporada, o plantio do milho safrinha foi feito fora da janela ideal de cultivo devido aos atrasos na cultura da soja. “Por conta dos atrasos da soja comprometeu o plantio da safrinha de milho em torno de 15 a 20 dias. A situação é preocupante”, afirma.

    Em temporadas em que o clima contribui, o rendimento das lavouras de milho safrinha chega a ser acima de 100 sacas do grão por hectare. Na região, poucos agricultores possuem seguros agrícolas das lavouras. Ainda segundo o produtor, mesmo se tiver incidências de precipitações na localidade vai ter perdas de produtividade. “A partir do momento que as chuvas chegam minimizam as coisas, mas não vai recuperar o potencial produtivo dessas áreas”, ressalta.

    Comercialização

    Por conta da insegurança em relação à produtividade, as referências para o milho na localidade subiram e está sendo cotada a R$ 30,00 a saca. “O produtor fica preocupado com o futuro e acaba travando as comercializações. Porém, muitos produtores fizeram negócios a R$ 25,00 por saca”, diz.

    Por: Fernanda Custódio e Andressa Simão
    Fonte: Notícias Agrícolas