• Publicado em

    Menina de 13 anos corta o pulso após receber ameaça da ‘Momo’

    O caso é parecido com o que aconteceu em Jataí e foi denunciado pelo Plantão JTI. Perfil no Facebook enviou mensagem dizendo que mataria toda a família da adolescente. A Polícia Civil de Pernambuco investiga o caso.

    Uma adolescente de 13 anos cortou os pulsos na noite de segunda-feira após ser ameaçada pela boneca Momo, que assusta usuários do WhatsApp e viralizou nas redes sociais um caso semelhante aconteceu em Jataí (relembre). A vítima desta vez mora em Barra de Jangada, no Jaboatão de Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. Ela adicionou Momo no início do mês e vinha conversando com ela ao longo dos dez dias que se seguiram. O celular da adolescente é periciado pela Polícia Civil de Pernambuco,que investiga o caso.

    A adolescente apresentava vários cortes do braço esquerdo depois de ter recebido “um desafio” da boneca que, por mensagens em um aplicativo, ameaçava assassinar a família da adolescente caso ela não cumprisse a tarefa.

    Na segunda-feira, a menina foi surpreendida com uma ameaça: se não se cortasse, sua família seria morta. A essa altura, o perfil já sabia o endereço da vítima e outras informações pessoais.

    A mãe da menina, que já andava preocupada com a mudança no comportamento da filha, estava em casa e conseguiu interromper o ferimento. A adolescente apresentava comportamento mais arredio e passava mais tempo no quarto do que o comum. Preocupada, a responsável acessou o celular da filha, bloqueou o perfil da boneca Momo e acionou a Polícia.

    A queixa foi registrada na tarde de terça-feira na Delegacia de Crimes contra a Criança e Adolescente de Jaboatão. O caso é investigado pela delegada Vilaneida Aguiar, titular da delegacia.

    Outros casos levaram à morte

    No mesmo estado, a morte de um menino é atribuída à Momo. Artur Luis Barros dos Santos, de 9 anos, foi encontrado enforcado no quintal de casa no Recife, capital de Pernambuco, no dia 15 de agosto. Embora ainda esteja em investigação, há poucos indícios de que a morte do menino tenha sido causada por um perfil ligado à boneca – de acordo com , advogada da família.

    Segundo a advogada da família, Yêda Nascimento, o garoto havia mostrado rapidamente uma foto da boneca para a mãe, a professora Jany Nascimento. Após a morte do filho, ela soube por uma sobrinha de que existia um desafio de enforcamento compartilhado por perfis da boneca.

    Especialista em crimes cibernéticos, Yêda acredita que o menino tenha morrido acidentalmente ao tentar cumprir um desafio de sufocamento divulgado pela internet, mas sem relação com a boneca. “Encontramos dados importantes que nos fazem crer”, aponta. De acordo com ela, Artur era de uma família de classe média, fazia natação e badminton e não apresentava nenhum sinal de depressão. “Não tinha motivos para suicídio”, afirma.

    Caso seja comprovado que o menino foi induzido a participar de um desafio, o autor pode ser responsabilizado por indução ao suicídio. A pena pode ser de dois a seis anos, com prazo ampliado quando infringido contra menor de idade, segundo a advogada.

    Na Argentina, uma menina de doze anos se suicidou e a suspeita é que ela tenha sido influenciada pelo jogo Momo. Imagens registraram a menina seguindo certos passos que alguém indicava no celular, até que ela se auto-asfixiasse, amarrando um lençol em volta do pescoço e se enforcando. Selene se enforcou em uma árvore nos fundos de sua humilde casa, na cidade de Ingeniero Maschwitz. Tudo foi filmado com seu celular. Por isso, uma das hipóteses dos investigadores é de que foi um suicídio induzido. Fonte/O Dia