• Publicado em

    Menino é enterrado vivo por não decorar versículo bíblico

    O caso aconteceu na cidade Manitowoc, nos Estados Unidos da America. 

    A crueldade do ser humano está passando dos limites e casos como este tem se tornado cada vez mais comuns e corriqueiros. Coisas ruins podem acontecer inclusive com algumas crianças, sem que as pessoas desconfiem. As informações são do Portal 1 News.

    Menino foi enterrado vivo na neve

    Um menino de apenas sete anos foi enterrado vivo na neve por seus guardiões legais. O motivo é assustador. Acredita-se que essa crueldade aconteceu com a finalidade punir o menino por não conseguir decorar versículo bíblico. O caso aconteceu na cidade Manitowoc, nos Estados Unidos da America.

    Leia também: Deputado que botou esposa no colo diz que muito “Neguinho e Dondoquinhas” queriam sentar no colo dele, assista 

    Histórico de agressões era longo

    O sofrimento de Ethan Hauschultz durou por muito tempo. O histórico de abusos e agressões que envolviam a criança é longo e cruel. O menino era abusado e agredido por seus dois pais adotivos, Timothy, 48 anos, e Tina Hauschultz,  35. O irmão mais velho do menino, de 15 anos, também agredia e abusava dele em alguns momentos.

    A criança chegou a ser golpeada com mais de cem socos e pontapés e teve um pedaço de madeira arremessado contra seu corpo..

    Mãe biológica pede justiça

    A legista que examinou o corpo de Ethan finalizou o atestado de óbito dizendo que o menino morreu de hipotermia, e apontou que o menino tinha traumas e escoriações na cabeça, no peito e em seu abdômen, além de uma costela fraturada.

    Não se sabe ao certo o grau de parentesco que os tutores tinham com a vítima, também não foi esclarecido o motivo pelo qual o menino foi retirado da tutela dos pais biológicos, mas a mãe verdadeira da criança quer justiça. Ela disse que quando chegou ao hospital o pequeno Ethan não tinha mais batimentos cardíacos. Os guardiões e o irmão mais velho do menino responderam por homicídio.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.