• Publicado em

    ‘Meu filho não é ruim’, diz mãe de homem que ejaculou em passageira

    A mãe contou que o filho sofreu um acidente de carro e teve ferimentos graves na cabeça

    mãe do ajudante geral Diego Ferreira de Novais, 27 anos, preso acusado de estupro após ejacular em uma passageira em um ônibus na avenida Paulista, na terça-feira passada (29), revelou que o filho ‘virou outra pessoa após duas cirurgias na cabeça’.

    Em entrevista à Folha de S. Paulo, a família disse quer que Diego seja internado e passe por tratamento psiquiátrico. “Meu filho não é ruim.

    Quero que ele passe por tratamento”, disse a dona de casa Iracema de Moraes, 49, mãe do acusado.

    Ela contou que o filho sofreu um acidente de carro e teve ferimentos graves na cabeça.

    Até 2006, Novais não agia desta forma, segundo a mãe. “Ele ficou 15 dias em coma no Hospital das Clínicas, passou por duas cirurgias no cérebro e ficou internado por dois meses.”

    “Quando ele voltou para casa, era outra pessoa. Era um menino alegre e estudioso, ajudava o pai no trabalho de raspar tacos. Virou um garoto silencioso e agressivo”, conta.

    Diego teria ficado com sequelas. “Ele passou por tratamento psiquiátrico e neurológico e fez fisioterapia até 2010”, explica a mãe.

    Em dezembro de 2009, veio o primeiro registro do comportamento sexual abusivo de Novais. Ele baixou as calças e exibiu o pênis à mulher em um ônibus. No entanto, os familiares só souberam do comportamento dele em 2014. “A primeira vez que ouvimos falar que ele teve problemas com comportamento sexual estranho foi em 2014. Só soubemos porque a polícia veio dizer que ele tinha sido preso”, contou o irmão de Novais, o autônomo Lucas Ferreira de Novais, 21.

    O acusado não voltou para casa desde o dia em que foi preso e liberado. A mãe conta que está preocupada. “Estamos com muito medo que aconteça algo com ele, porque a imagem dele está em todo lugar. O pai está atrás dele”, disse.

    Atualmente, há ao menos 16 boletins de ocorrência contra Novais por crimes sexuais.



    Via Noticias ao Minuto
  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook