• Publicado em

    Polícia Civil de Rio Verde prende quatro pessoas, entre elas uma mulher grávida de gêmeos

    Os quatro envolvidos foram encaminhados para delegacia onde foram autuados em flagrante pelo crime de porte ilegal de arma de fogo.

    De acordo informações repassadas pela Assessoria de Imprensa 8ª DRP, na tarde da ultima segunda-feira (11) policiais civis do Grupo Especializado de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (GEPATRI) prenderam em Rio Verde, quatro pessoas por porte irregular de arma de fogo.

    Segundo a Polícia Civil as prisões ocorreram após uma denuncia anônima informando que em uma residência no Residencial Atalaia estaria um indivíduo foragido da Casa de Prisão Provisória.

    Os agentes foram recebidos pela proprietária da casa, uma senhora grávida de nove meses, que não autorizou a entrada dos policiais.

    No entanto, um policial averiguou por cima do muro lateral da residência e avistou dois indivíduos procurando algum objeto no quintal da casa e constatou que o objeto era um revólver cal. 38.

    Eles retiraram a arma do quintal e levaram para dentro da casa. Nesse momento os policiais adentraram a residência e realizam uma minuciosa busca, sem êxito.

    Na residência havia duas mulheres, e os policiais solicitaram o apoio de uma agente policial para proceder à busca em ambas.

     Antes que a policial chegasse à dona da casa, uma senhora grávida de gêmeos, retirou por baixo de sua roupa o revólver cal. 38.

    Quando a policial chegou à residência efetuou busca pessoal na outra mulher e com ela foram encontradas mais cinco munições cal. 38.

    Dois homens que estavam na residência assumiram que o revólver e as munições, apreendidos com as mulheres, eram deles.

    Assim, os quatro envolvidos foram encaminhados para delegacia onde foram autuados em flagrante pelo crime de porte ilegal de arma de fogo.

    Foi arbitrada fiança de R$ 4.000,00 para cada indivíduo. Nenhum deles pagou a fiança e foram conduzidos a Casa de Prisão Provisória e ao Centro de Inserção Social onde permanecem presos.

    Os presos são: Gleicimar Alves Machado, Rafael Juvileschi da Silva, Thaiane da Silva Sousa, e Eliane Aparecida Juvileschi.



  • Participe do debate em nosso grupo do Facebook