• Publicado em

    Polícia Civil prende sete pessoas durante operação contra roubos, em Rio Verde

    A operação realizada para combater crimes de roubos, acabou resultado também em prisões por tráfico de drogas.
    COMPARTILHE

    De acordo informações repassadas pela Assessoria de Imprensa 8ª DRP, na manhã desta terça-feira (10) o Grupo Especializado de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio –GEPATRI- com o apoio de policiais civis do Grupo de Investigação de Homicídios –GIH- prenderam; Marco Túlio Pereira Leal, a amasia dele, Luana Medeiros Pires, Tiago Cabral Reis, Francisco Johnlenon Sousa Lima, José Walter de Araujo Filho (Mosquito), Adriano dos Santos de Almeida, e Leonardo Franca Rosa (Piriá).

    A operação realizada para combater crimes de roubos, acabou resultado também em prisões por tráfico de drogas.

    Foram cumpridos dois mandados de prisão, um deles contra Leonardo, envolvido nos roubos ocorridos nas empresas, Dominet, Babylandia, e Rei do Açaí.

    Em pelo menos um dos roubos, ele teve o apoio de Adriano, também preso através de mandado de prisão. A Polícia Civil investiga se eles estão envolvidos em roubos ocorridos em outras empresas, e a transeuntes.

    Os outros cinco presos foram alvos de mandados de busca e apreensão em suas residências, onde foram aprendidos, cocaína, crack, maconha, uma TV, uma moto, uma arma de fogo calibre 32, e cerca de nove mil reais. A maior parte do dinheiro estava com Tiago e José Walter.

    Segundo o delegado titular do Gepatri, Carlos Roberto Batista, os presos por tráfico atuavam na região da Vila Maria, local onde usuários de drogas cometem roubos e trocam os produtos por drogas.

    Ele disse ainda que alguns deles, são conhecidos no meio policial devido aos crimes que praticam em Rio Verde, há bastante tempo.

    Já delegada Regional Taisa Antonello, destacou o trabalho dos grupos especializados e disse ainda que após as prisões, outras vitimas de roubos, que possivelmente reconhecerem os presos, poderão procurar a Policia Civil.

    “Quanto mais vitimas forem identificadas, mais inquéritos poderão ser instaurados e eles deverão ficar mais tempo presos”. Concluiu a delegada. Os sete presos foram conduzidos para os presídios locais.

    Repórter Mari JTI/ Plantão JTI



  • Participe do debate em nosso grupo do Facebook