• Publicado em

    Polícia indicia por feminicídio os três suspeitos de matar mulher por ciúmes em Goiás

    Segundo as investigações, o assassinato aconteceu devido a ciúmes por parte do marido. Vídeo mostra quando vítima é baleada na calçada.

    Segundo informações do G1, A Polícia Civil indiciou pelo crime de feminicídio nesta sexta-feira (9) os três suspeitos de matar Valdiandrea D’arc de Almeida, de 38 anos, em Vicentinópolis, no sul de Goiás. Segundo as investigações, o assassinato aconteceu devido a ciúmes por parte do marido. Estão presos o companheiro dela, o sobrinho dele e um amigo.

    Valdiandrea morreu no dia 27 de outubro. Câmeras de segurança registraram o momento do assassinato (veja acima). De acordo com a polícia, o marido da vítima, Ronaldo Cabral Franco, de 43 anos, acreditava que a mulher estava tendo um caso extraconjugal e chamou o sobrinho, Carlos Humberto da Silva Filho, de 19, e o amigo, Darley Ferreira Leite, de 21 anos, para cometerem o crime.

    Nenhum advogado se apresentou para defender Darley até a manhã desta sexta-feira, segundo a Polícia Civil. O G1 entrou em contato por telefone com o advogado listado no site do Tribunal de Justiça como defensor de Ronaldo e Carlos, mas ele estava em viagem e informou que ainda iria confirmar se era o responsável pela defesa.

    “O Darley disse que o Ronaldo e o Carlos passaram na casa dele e o chamaram para ir a um lugar. No meio de caminho, disseram que, na realidade, iam seguir a vítima para matar o amante dela. Como esse amante não apareceu, decidiram matar a mulher”, disse o delegado Patrick Carniel.

    A polícia, no entanto, disse que não há indícios de que a mulher estivesse tendo algum caso extraconjugal. Ronaldo e o sobrinho estão presos desde o dia 1º de novembro. Já Darley foi detido na quinta-feira (8). Eles estão na unidade prisional de Pontalina.

    Darley foi preso em casa e mostrou para os policiais onde estava a arma que teria sido usada no crime. “Devido a isso, além do feminicídio, ele também foi indiciado por posse ilegal de arma”, disse o delegado.