• Publicado em

    ‘Por que meu pai quis me matar?’, diz filho de Eliza Samudio

    Mãe de modelo morta pelo goleiro Bruno Fernandes conta que neto de 8 anos questiona sobre morte

    Sônia de Fátima Marcelo da Silva Moura, de 52 anos, revelou ao UOL que seu neto Bruninho (como é chamado por ela), de oito anos, vem questionando cada vez mais sobre a morte da mãe Eliza Samudio.

    “Como a minha mãe morreu?”, “Como era a voz dela?”,  “Como era o cheiro dela?”, “Onde ela está enterrada?”, “Cadê o meu pai?”, e “Me mostra uma foto?” são algumas das perguntas feitas pela criança à avó.

    A modelo Eliza Samudio foi morta por asfixia em 10 de junho de 2010. Seu corpo foi esquartejado e até hoje não foi encontrado. Em 2013, o ex-namorado, o goleiro Bruno Fernandes, foi condenado a 22 anos e três meses de prisão, por homicídio triplamente qualificado, sequestro e ocultação do cadáver. No entanto, o jogador de futebol vai pedir a progressão de pena para o regime semiaberto domiciliar a partir do dia 13 de outubro, deixando a prisão.

    “Tenho receio pelas nossas vidas. Minha e do meu neto. É uma mistura de sentimentos. Ele poderá recomeçar a vida dele, minha filha não (assassinada com 25 anos). Mataram ela e todos seus sonhos. Não tiveram piedade. Bruninho foi largado em uma favela e só não morreu porque não tiveram coragem de matá-lo”, disse Sônia ao UOL.

    De acordo com Sônia, Bruninho soube que o pai é um dos responsáveis pela morte de Eliza no último Dia das Mães, em maio. “Por que ele tentou me matar? Era um bebê”, questionou a criança sobre ter sido vítima aos quatro meses de idade.