• Publicado em

    Protagonista do vídeo publicado por Bolsonaro é argentina, diz revista

    Sofia Lacre é uma performer que diz buscar atingir o público com assuntos relacionados à sexualidade e aos transgêneros

    Apesar de se incluir no gênero feminino, Paulx Castello e/ou Sofia Lacre, não se identifica nem como homem nem como mulher. Ela é formada pela Universidad Nacional de las Artes (UNA), na Argentina, e é uma das responsáveis pelo festival cultural com temas ligados ao sexo chamado “Kuceta”.

    O vídeo publicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) em suas redes sociais era de uma performance feita por Sofia no Carnaval. Na cena divulgada mundialmente, uma pessoa de cabelos compridos dança, manuseia o ânus com os dedos e, em certo momento, abaixa a cabeça para que um outro rapaz (também artista) urine sobre ela, o que ficou posteriormente conhecido como “Golden Shower”.  As informações são da revista Época.

    Confira o tuíte do presidente: (atenção imagens com conteúdo forte)

    Nas suas páginas do Facebook e Youtube, a performer publica imagens relacionadas à sexualidade, além de compartilhar posts e notícias sobre os direitos e dificuldades da população transgênera.

    O vídeo publicado por Bolsonaro foi feito durante o BloCU, na última segunda-feira (4/3), em São Paulo, e foi postado em um grupo seguido por menos de 100 pessoas. No Carnaval paulista, a estrela do bloco foi a atriz e cantora Jup do Bairro, que cantava em sincronia com o rapaz que urinava: “Eu falei pra minha mãe/que eu queria ser mulher/sabe o que ela me disse?/“Fazer o que, né?”.

    De acordo com o relato de um amigo, trazido à tona pela reportagem, a performer ficou apreensiva após a repercussão que o post do presidente atingiu e, por isso, fechou seus perfis nas redes sociais. Apesar de evitar exposição, Sofia mantinha contato com amigos e amigas, mas eles não quiseram se pronunciar, com medo que o colega fosse perseguido.

    Por que o vídeo?
    No post, Bolsonaro fazia uma reflexão a respeito da “verdade” sobre o “que têm virado muitos blocos de rua no Carnaval brasileiro”. Após o feito, ele foi criticado no país — inclusive por aliados de seu governo — e fora.

    Horas depois de postar o vídeo, o presidente negou a “intenção de criticar o Carnaval de forma genérica, mas sim caracterizar uma distorção clara do espírito momesco”. Via Metrópoles

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.