• Publicado em

    Qual é a melhor opção de curso: Semipresencial ou EAD?

    A modalidade semipresencial oferece até 20% da carga horária para atividades a distância

    Sem dúvidas, você já ouviu falar sobre os cursos EAD. E a modalidade semipresencial, você conhece? Essas novas metodologias surgem para que a educação consiga acompanhar as necessidades dos estudantes, que também vão se transformando com tempo. E, apesar dos impactos de um momento econômico com tantas turbulências, as matrículas nas modalidades a distância cresceram e a rentabilidade se manteve estável. Mas afinal, quais são as diferenças entre essas modalidades?

    No ensino EAD, o material é disponibilizado 100% em ambiente on-line. E o contato com os professores e coordenadores também é feito virtualmente, assim como os fóruns para se comunicar com os outros estudantes. Apenas provas, estágios e exames são realizados presencialmente. A frequência desses encontros presenciais e obrigatórios varia conforme o curso, podendo ser mensal ou semestral.

    Já no curso semipresencial, as aulas e atividades não são 100% presenciais e nem totalmente a distância. Isso faz dessa metodologia uma alternativa intermediária, composta por matérias ministradas por meio da plataforma EAD e outras na modalidade tradicional, com aulas presenciais. Dessa forma, o estudante tem uma parte da grade curricular com a flexibilidade do curso a distância e outra parte com o contato pessoal com professores e colegas, como na graduação presencial.

    No uso da atribuição que confere o artigo 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, e considerando o disposto no artigo 81 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e no Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005, um curso só pode ser considerado semipresencial quando oferece até 20% da sua carga horária total para atividades a distância.

    Uma curiosidade: Existem apenas 109 cursos semipresenciais em pós-graduação em comparação com 1.098 cursos totalmente a distância – e o doutorado não conta com oferta semipresencial. É nítida a preferência das instituições e alunos pelos cursos presenciais ou a distância, sem muito espaço para ofertas na modalidade híbrida.

    Vitor Arruda, 18 anos, precisa conciliar o seu trabalho em uma oficina mecânica com os estudos. Por esse motivo, escolheu cursar Engenharia Mecânica na modalidade híbrida e não se arrepende. “Para mim, essa foi a melhor opção porque eu não preciso estar na faculdade todos os dias”, explica. Vitor só vai a faculdade dias de quarta-feira à noite e, aos sábados, quinzenalmente. “Essa modalidade de ensino, me proporciona bastante tempo livre mas também garante contato com os professores e meus colegas de turma”, assegurou.

    O estudante está no terceiro semestre e disse utilizar os momentos presenciais para trocar experiência com os colegas e professores. “A minha turma é sempre a mesma, dessa forma, é até melhor porque criamos um vínculo um com o outro, esclarecemos nossas dúvidas e aprendemos ainda mais”, avalia Arruda.

    Também existem semelhanças entre cursos EAD e semipresenciais. Em ambos, a tecnologia é amplamente empregada, barreiras geográficas são quebradas, além do diferencial de serem financeiramente mais acessíveis. Ficou tentado a voltar a estudar? Conte com o apoio do Educa Mais Brasil. O programa oferece bolsas de estudo até 70% para você concluir sua graduação, seja ela EAD, semipresencial ou presencial. Não perca tempo, acesse o site do Educa Mais e confira as oportunidades na sua região. A inscrição é gratuita.

    Fonte: Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil