• Publicado em

    Sabe o rapaz morto por mãe por ser gay? O que a polícia descobriu é estarrecedor

    DNA confirmou que corpo queimado era mesmo de Itaberlly Lozano. Mãe é a principal acusada.

    Alguns casos criminais podem ser realmente muito chamativos. Em janeiro deste ano, por exemplo, um #Crime que aconteceu na cidade de #Cravinhos, no interior de São Paulo, acabou tendo repercussão nacional. Uma mãe teria matado o próprio filho por ele ser homossexual.

    Mais de seis meses depois do crime, o pior foi confirmado. Além de matar o jovem, o corpo dele foi queimado. A vítima, que tinha 17 anos quando foi morta, era Itaberlly Lozano. Além da mãe, também é acusado pelo crime o padrasto do menor. A família posava nas redes sociais em fotos que mostravam uma suposta perfeição, mas os bastidores da casa de Itaberlly Lozano, eram assustadores.

    IML confirma que corpo queimado era mesmo de Itaberlly, o menino morto pela própria mãe por ser gay

    A polícia estava esperando o laudo do Instituto Médico Legal (IML) para dar prosseguimento ao caso. Agora que o IML confirmou que o cadáver era mesmo de Itaberlly, os restos mortais do adolescente foram sepultados por sua família nesta sexta-feira (14).

    O crime é tratado como homofobia, já que a mãe e o padrasto do jovem não aceitavam muito bem o fato de ele ser homossexual. A mãe do garoto, Tatiana Ferreira Lozan Pereira, de 33 anos, é acusada de ter tramado o assassinato do menino. Os detalhes do crime chocaram a pequena cidade onde a família morava.

    Mãe planejou morte de rapaz gay e contratou três para assassiná-lo

    Tatiana, após planejar a ação criminosa, teria contratado três outros jovens para matar o filho.

    Inicialmente, ela argumentou que poderia não ter coragem de assassinar o garoto. Dias antes do assassinato, a família se reuniu para uma comemoração de Natal.

    O Ministério Público atua na situação e acusa também o marido de Tatiana de ajudá-la a esconder o corpo de Itaberlly. Ele teria sido morto com facadas no pescoço, após ser atraído por Tatiana. Também são acusados pelo crime uma jovem de 16 anos, que não teve o nome identificado, Victor Roberto, de 19 anos, e Miller Barissa, de 18 anos.

    Rapazes espancaram jovem, mas foi a mãe quem o esfaqueou no pescoço

    Itaberlly tentou lutar para não ser morto. Dois dos rapazes contratados deram uma surra no jovem.

    Ele tentou resistir e, por isso, sua própria mãe, pegou uma faca e cortou o seu pescoço.

    Mais tarde, com a ajuda de Alex Canteli Pereira, seu esposo, ela levou o corpo do jovem para um canavial.

    Os dois juntos colocaram fogo no cadáver. Inicialmente, a mulher desmentiu o crime, porém, mais tarde, ela confessou que participou da morte do filho.




    Fonte/ É Manchete Blasting News
  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook