• Publicado em

    Sinal de alerta para o milho de segunda safra em Jataí-GO

    Lavouras em período reprodutivo estão sem chuvas há duas semanas

    Os produtores rurais de Jataí (GO) estão apreensivos com o desenvolvimento do milho safrinha já que a região não recebe chuvas a mais de duas semanas e as temperaturas estão elevadas.

    De acordo com o produtor, Mozart Carvalho de Assis, as condições ainda não comprometem a produtividade das lavouras, mas a preocupação “é que os solos estão perdendo a capacidade de reter água, e esse é o período (reprodução) mais importante para a cultura onde a necessidade de água é intensa”, ressalta.

    A projeção inicial é de rendimento em 120 sacas por hectare, mas não são descartadas quedas na produtividade caso as condições climáticas não melhorem, e para os próximos 15 dias as previsões climáticas não são animadoras. De acordo com os agrometeorologista da Somar, Marco Antônio dos Santos, o avanço de um bloqueio atmosférico deve cortar as precipitações em todo o estado até o final do mês.

    “Se não chover nos próximos 15 dias infelizmente nós teremos uma redução muito drástica na produção”, alerta Assis. O município cultivou neste ano um total de 240 mil hectares do cereal.

    Soja

    No inicio do ciclo o clima ideal animou os produtores que esperavam ter uma produtividade recorde. No entanto, no decorrer da safra algumas intempéries impediram o rendimento superior, assim a região finalizou a colheita com produtividade 55 sacas por hectare, dentro da média dos demais anos.

    Na safra 2015/16 foram cultivados 280 mil hectares com a soja e, mais 80% da safra foi comercializada antecipadamente com preços média de R$ 72,00 a saca.

    Mobilização para o Impeachment

    Cerca de cinco ônibus com produtores rurais sairão de Jataí para Brasília no próximo final de semana. O objetivo é fazer coro a impeachment da presidente Dilma Rousseff, que deve entrar em votação no domingo (17).

    “É o momento de nós, como cidadão brasileiros, darmos nossa parcela de contribuição e participar desse processo que é extremamente importante para o futuro do nosso país”, declara o Assis.

    Por: Aleksander Horta e Larissa Albuquerque

    Fonte: Notícias Agrícolas

    Assista a matéria;