• Publicado em

    Temer promete medidas de combate à crise e nega saída de Meirelles

    Presidente considera substituição do ministro da Fazenda um 'desserviço' ao governo e ao país

    Aliados do governo Temer pedem medidas urgentes para o combate à recessão, como ajustes na economia e a saída do ministro da Fazenda Henrique Meirelles.

    Em entrevista ao Globo, o presidente Michel Temer contou que as medidas serão tomadas, mas que considera a saída de Meirelles um “desserviço” ao governo e ao país.

    De acordo com a reportagem, os principais nomes que defendem a substituição do ministro da Fazenda são o presidente da Câmara Rodrigo Maia, o presidente do Senado Renan Calheiros, o ex-ministro Romero Jucá (PMDB-PE), o líder do PMDB no Senado Eunício Oliveira e os senadores tucanos Aécio Neves e Tasso Jereissati.

    Temer reconheceu, porém, que é preciso “impulsionar a economia a partir de agora, com essas dez medidas”, que serão conduzidas “pelo ministro Henrique Meirelles, portador da mais absoluta confiança e apoio do presidente da República”.

    O presidente alegou que o assunto não foi abordado diretamente por nenhum dos interlocutores.

    “O que tem havido, e isso não posso negar, são ponderações no sentido de que o governo, pelo curto espaço que tem, não pode esperar de braços cruzados a retomada do crescimento econômico, prevista somente para o segundo semestre do próximo ano. Concordo, mas aviso: essa tem sido também uma preocupação constante não só minha, mas principalmente do ministro da Fazenda.”

    E não são somente os tucanos que demonstram impaciência com a escassez de sinais de recuperação da economia. Líderes pemedebistas também estão sendo pressionado por agentes econômicos que apoiaram o impeachment de Dilma e aguardam ansiosos por resultados.

  • Participe do debate em nosso grupo no Facebook