• Publicado em

    Três demissões: rodada é cruel com técnicos do Brasileirão

    Zé Ricardo, Guto Ferreira e Jorginho: a nona rodada do Campeonato Brasileiro custou caro para três técnicos da Série A.

    De acordo com o site Paraná Portal, o clube Ceará, anunciou na manhã desta segunda-feira, que o técnico Jorginho não comanda mais a equipe no Campeonato Brasileiro. De acordo com o clube o treinador pediu demissão alegando fatores pessoais. Jorginho deixa o comando da equipe após apenas três jogos, sem ter conseguido somar nenhum ponto. A última derrota foi no domingo, para o Cruzeiro, por 1 a 0, no Castelão.

    “Apesar do tempo muito curto de trabalho, posso dizer que tive a honra de trabalhar no Ceará Sporting Club. A decisão foi minha. Nesta segunda-feira, vou ao CT me despedir dos atletas e funcionários, que tão bem me acolheram desde a minha chegada. Desejo e espero que o clube possa reencontrar o caminho das vitórias. Pelo grupo de trabalho, pela dedicação da diretoria, e, claro, por essa torcida maravilhosa. Certamente é o maior patrimônio do Ceará, com uma média de público e participação nos jogos impressionantes. Agradeço também, de coração, ao povo cearense, sempre hospitaleiro e cordial”, disse o treinador.

    A diretoria do Ceará já iniciou a busca por um substituto, que será o terceiro técnico do clube no Brasileiro. Marcelo Chamusca iniciou a campanha, mas foi demitido após seis rodadas. O clube é o atual lanterna da Série A com três pontos.

    Jorginho foi o terceiro técnico a perder o emprego após a nona rodada do Campeonato Brasileiro. Antes dele, Zé Ricardo e Guto Ferreira haviam sido desligados, respectivamente, de Vasco e Bahia.

    Zé Ricardo também pediu para sair

    No sábado, após a derrota no clássico carioca para o Botafogo, Zé Ricardo pediu demissão do Vasco da Gama. Zé Ricardo também alegou à diretoria “motivos pessoais” para entregar o cargo. Zé Ricardo vinha acumulando uma série de desgastes ao tomar frente de vários problemas enfrentados pelo Vasco desde o ano passado, como o atraso de salários, a perda de diversos jogadores e o conturbado processo eleitoral do clube. Os dois últimos episódios, que culminaram na decisão do treinador, foi o afastamento, sem que ele fosse consultado, de jogadores que postaram uma foto com críticas à torcida, e o cancelamento de uma troca de atletas com o Atlético-MG solicitada pelo treinador.

    Diretor executivo do clube, Paulo Pelaipe disse que não havia intenção de trocar de treinador no momento. “Tentamos demovê-lo, não estávamos esperando, mas a posição dele foi irredutível. Estamos comunicando que a partir de hoje o Zé Ricardo não é mais treinador do clube. Perdemos um grande profissional”, anunciou. Enquanto procura um novo comandante, o Vasco será treinado pelo auxiliar Valdir Bigode, ex-atacante do clube.

    Demitido após quinto tropeço

    A derrota em casa, para o Grêmio, por 2 a 0, no domingo, custou o emprego do técnico Guto Ferreira no Bahia. Mesmo com um aproveitamento de mais de 60% dos pontos disputados no ano, o título baiano e as boas campanhas na Copa do Nordeste (está nas semifinais) e na Sul-americana (passou para a segunda fase), o técnico não suportou a mais um tropeço no Brasileirão, onde só conseguiu duas vitórias e é o 18º colocado, com oito pontos, na zona de rebaixamento.

    “A diretoria agradece os serviços prestados e deseja boa sorte no seguimento de sua carreira”, diz trecho do breve comunicado publicado pelo clube em seu site.
    O auxiliar Cláudio Prates, também treinador da equipe sub-23, assume o elenco profissional tricolor até a chegada do novo técnico.