• Publicado em

    Abrigo de idosos registra uma morte e mais de 70 casos de Covid-19 em Jataí

    Do total de 73 moradores do local, 55 estão com a doença e 21 funcionários também foram infectados. Secretaria Municipal de Saúde informou que está monitorando a situação.

    De acordo matéria do G1 GO, um abrigo para idosos em Jataí, na região sudoeste de Goiás, registrou uma morte e 55 idosos com diagnóstico positivo para Covid-19. No local, moram 73 pessoas. Outros 21 funcionários também estão com a doença. A informação foi confirmada pela direção da instituição, na manhã de sábado (17).

    Segundo a direção do Abrigo São Vicente de Paula, desde que confirmado os casos positivos, 12 idosos precisaram ser internados no Hospital das Clínicas de Jataí. Sendo que desses, um morreu e outro permanece internado em estado grave em uma Unidade de Terapia Intensiva.

    O idoso que morreu não teve a identidade divulgada. No entanto, a direção informou que, além de ter sido infectado pela Covid-19, ele também já enfrentava um câncer quando contraiu o vírus.

    Segundo a instituição, os funcionários que testaram positivo estão isolados, em casa. Já os idosos que não foram contaminados seguem no abrigo, separados dos demais.

    A Secretaria Municipal de Saúde informou que está acompanhando a situação e fazendo novos testes. A pasta informou ainda que o local passa por rigorosa desinfecção diariamente.

    Covid em abrigo de idosos

    • Unidade tem 73 moradores;
    • 55 estão com Covid-19;
    • 11 estão internados;
    • Destes, um está em UTI e 10 em enfermaria;
    • Um idoso morreu
    • 21 funcionários testaram positivo, sendo três diretores.

    Segundo a direção do abrigo, todos os idosos foram imunizados com as duas doses da vacina contra o coronavírus. O médico infectologista Hélio Ranes explica que, caso eles não tivessem sido vacinados, a situação no local poderia ser ainda mais preocupante.

    “Nesse grupo de idosos, se eles não tivessem sido vacinados o número de casos graves poderia ser até maior. Então, o principal objetivo mesmo da vacina é reduzir casos graves e número de óbitos”, explicou.

    O também médico infectologista Marcelo Daher explica ainda que a vacina é eficaz. “A vacina, principalmente a Coronavac, tem uma proteção de 50%, então a tendência é que 50% das pessoas vacinadas se protejam e os outros 50% podem ter. A gente sabe também que a vacina é para diminuir a gravidade da doença, e não evitar a infecção”, disse.

     

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.