• Publicado em

    Anitta pede orações contra guerra na Ucrânia pelo Twitter após pesadelo

    A cantora decidiu fazer a publicação na rede social após ter tido um pesadelo.

    Compartilhe!

    A cantora Anitta se posicionou contra a guerra na Ucrânia e pediu que seus fãs rezem para que o conflito acabe.

    Sem mencionar o confronto diretamente, a artista escreveu em sua conta no Twitter que “a guerra ainda não acabou”. “Só a mídia que não está rendendo mais tantos cliques, então não estão mais falando tanto sobre isso como antes. Mas devemos continuar rezando. O poder da oração e de enviar pensamentos e pedidos positivos ao universo é maior do que muitos imaginam.”

    A cantora afirmou também que decidiu fazer a publicação na rede social após ter tido um pesadelo na noite deste domingo e estendeu o pedido de orações para solucionar outros problemas da humanidade.

    “Vamos continuar rezando para que isso acabe. Não só a guerra. Mas também a fome, a miséria, o descaso com a natureza, o assassinato dos povos indígenas. Preciso de muitas orações pedindo a paz que nosso mundo tanto precisa. Deus esteja com todos nós sempre.”

    Uma das maiores celebridades brasileiras da atualidade, com mais de 16 milhões de seguidores no Twitter, Anitta é a cantora de funk com maior destaque internacional. Com sua música “Envolver”, a artista alcançou o primeiro lugar entre as músicas mais ouvidas no mundo na plataforma Spotify.

    A guerra na Ucrânia, a que a cantora se referia na publicação, começou em 24 de fevereiro quando as tropas russas iniciaram uma invasão sobre o país vizinho. Com enfrentamentos armados e bombardeios, a guerra já matou pelo menos 2.665 civis e deixou 3.053 pessoas feridas, além de ter feito 5,2 milhões de refugiados, segundo dados da Organização das Nações Unidas divulgados em abril.

     

    Repórter Mari JTI    / Via Noticias ao Minuto

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.