• Publicado em

    Brasil e Argentina disputarão final da Copa América

    Mesmo com todos os prejuízos de saúde pública, audiência e financeiro a final do torneio terá como estrelas Messi e Neymar.

    A Argentina garantiu vaga na decisão da Copa América após derrotar a Colômbia por 3 a 2 na disputa de pênaltis, após empate em 1 a 1 nos 90 minutos, em partida realizada nesta terça-feira (6) no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

    Assim, os argentinos farão a grande decisão da competição com o Brasil, no próximo sábado (10), a partir das 21h (horário de Brasília), no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

    Depois de mais de 20 jogos e muitos casos de Covid-19, a atual edição da competição está sendo um fracasso de audiência se comparada a competição de 2019, onde o público ainda poderia está nos estádios, neste ano, se registra uma média de 15 pontos nas transmissões da SBT, enquanto em 2019, quando a competição foi realizada também no Brasil, e o público ainda podia estar nos estádios, a média de audiência foi de 33 pontos.

    Somando-se a isso, a atual edição do torneio conta com um enorme prejuízo, segundo dados da Conmebol.  Eles estão estimados entre US$ 15 milhões e US$ 25 milhões, de acordo com a entidade. Embora o prejuízo pareça menor do que o previsto com a não realização do evento, em torno de US$ 50 milhões, o fato é que a Copa América não teve aceitação da população em meio à pandemia de covid-19.

    Com a bola rolando, a Argentina conseguiu abrir o placar logo aos 6 minutos, quando Messi recebe bola enfiada dentro da área, se livra de um adversário e cruza para o meio, onde Lautaro Martínez chega batendo de primeira para superar Ospina.

    Porém, a Colômbia melhora na partida e consegue igualar o marcador na etapa final. Aos 15 minutos Luis Díaz recebe na ponta esquerda, parte em velocidade e dá um toque para se livrar de Ospina. Como a igualdade permaneceu até o final dos 90 minutos a vaga na decisão foi definida na disputa de pênaltis.

    E nas penalidades, o goleiro argentino Emiliano Martínez brilhou, defendendo as cobranças de Davinson Sánchez, Mina e Cardona para garantir a classificação argentina.

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.