• Publicado em

    Caminhoneiro sofre de mal súbito e é encontrado morto na cabine de carreta em Goiás

    A PRF fez contato com o patrão do acidentado relatando a ocorrência e mesmo assim, a vítima relutou, alegando que foi apenas um mal estar.

    Segundo o assessor de comunicação da Polícia Rodoviária Federal Inspetor Newton Morais, um caminhoneiro de 57 anos foi encontrado morto, no interior do veículo, neste final de semana, na BR 153, município de Porangatu, após sofrer de um mal súbito.

    Tudo começou quando a PRF foi acionada para atender a uma saída de pista seguida de tombamento de uma carreta, na manhã de quinta-feira(14), na BR 153, km 44, município de Porangatu.

    Ao chegar ao local, a PRF e o SAMU constataram que o motorista estava desacordado, e imediatamente, o homem foi removido para a Unidade de Resgate, onde recebeu atendimento médico.

    Logo em seguida, o médico plantonista resolveu conduzir o enfermo para avaliação criteriosa em uma unidade hospitalar em Porangatu, sendo que o motorista se negou categoricamente a sair do local.

    A PRF fez contato com o patrão do acidentado relatando a ocorrência e mesmo assim, a vítima relutou, alegando que foi apenas um mal estar.

    O motorista ficou no local onde o veículo acidentou-se e a remoção da carreta ficou para ser feita no dia seguinte.

    Na sexta-feira (15) por volta das 10h, uma equipe da PRF foi até o local, junto com um caminhão guincho para remover o veículo do local mas, não foi possível executar a operação.

    Cerca de quatro horas depois, uma guarnição da PM passou pelo local e encontrou o caminhoneiro morto, caído no assoalho da cabine do autocarga.

    A perícia compareceu ao local e o corpo da vítima foi levada para o IML de Porangatu.

    Neste domingo o autocarga foi rebocado para o pátio da Unidade Operacional da PRF local.




    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.