• Publicado em

    Cantor é morto com 60 golpes de facadas no Amapá

    Famoso no Oiapoque, Gledson Leal foi vítima de latrocínio na madrugada desse domingo (2)

    José Gledson Leal, um famoso cantor piauiense, morador do Oiapoque, no Amapá, foi brutalmente morto na madrugada deste domingo (2) durante um “revezamento” de facadas feito por quatro pessoas.

    De acordo com a Polícia Militar, foram encontradas 60 perfurações no corpo de Leal.

    O cantor teria conhecido uma jovem de 17 anos em uma casa noturna.

    Leal teria levado a adolescente para dar um passeio de carro. Entretanto, segundo a polícia, a suspeita premeditava o crime e pediu para usar o banheiro da residência do cantor, que fica no bairro de Nova Esperança.

    No local, a jovem constatou que havia produtos de valor na casa.

    O sargento Carvalho conta que Leal vendia relógios, câmeras fotográficas, roupas e outros objetos para mineradores clandestinos na fronteira com a Guiana Francesa.

    — Os dois voltaram para a festa, onde a jovem comunicou três comparsas sobre os produtos de valor.

    A adolescente convenceu Leal a voltar para casa e os três outros suspeitos teriam seguido o casal em um táxi.

    Quando os dois entraram na casa, os suspeitos vieram logo atrás, rendendo o cantor e desferindo facadas contra ele.

    — Foram 60 facadas e o grupo, que estava drogado, revezou o ataque.

    Os maiores foram encaminhados para o presídio de Macapá, onde irão aguardar presos o julgamento por latrocínio.Os jovens foram apreendidosOs objetos foram roubados e levados para a casa de um dos suspeitos.

    Além dos objetos de valor para vender, Gledson também tinha um bom equipamento de som, que usava para trabalhar como cantor.

    A polícia conta que a notícia da morte do cantor se espalhou rapidamente por causa da sua fama na cidade.

    Na mesma madrugada, na porta da casa noturna em que estavam, dois dos suspeitos tentaram vender um celular para um taxistas que, quando ligou o aparelho viu a foto do cantor.

    — Foi então que ele veio até a delegacia e denunciou com quem estava o celular.

    No local, a polícia conseguiu deter dois suspeitos, porém, os outros dois, que usavam drogas nas imediações, correram para o meio do matagal.

    Foi somente às 6h de domingo que a polícia conseguiu encontrar os dois suspeitos e levá-los para a delegacia.

    Na delegacia, a adolescente acabou contando como aconteceu o crime. Com ela foi apreendido o namorado, também menor, e dois adultos.

    Os maiores foram encaminhados para o presídio de Macapá, onde irão aguardar presos o julgamento por latrocínio.

    Os jovens foram apreendidos.

    Nas redes sociais, os filhos de Gledson Leal estão indignados com a morte do pai.

    Nas redes sociais, os filhos de Gledson Leal estão indignados com a morte do pai.Em uma publicação, um dos filhos fez um desabafo: 'Será difícil ficar sem você meu pai. Que Deus lhe de um bom caminho. Sei que não sera fácil minha jornada sem você. A vida e frágil e muitas vezes curta. Essa dor que estou passando é uma dor difícil. Gledson Leal vá em paz. Te amo pai amor eterno'
    Em uma publicação, um dos filhos fez um desabafo: “Será difícil ficar sem você meu pai. Que Deus lhe de um bom caminho. Sei que não sera fácil minha jornada sem você. A vida e frágil e muitas vezes curta. Essa dor que estou passando é uma dor difícil. Gledson Leal vá em paz. Te amo pai amor eterno”.

     

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.