• Publicado em

    Dono de garagem atira em invasor e só depois percebe que matou o irmão; vídeo

    Câmeras de monitoramento flagraram a invasão ao local, em Goiânia. Segundo registro da Polícia Militar, advogado do empresário garantiu que cliente vai se apresentar à Polícia Civil.

    De acordo matéria do Portal G1 GO, o dono de uma garagem de carros em Goiânia, que dormia no estabelecimento, acordou na madrugada desta quarta-feira (26) com barulho de uma invasão ao local e atirou contra essa pessoa que tentava entrar no escritório, segundo a Polícia Militar. A corporação registrou que, só depois de atirar, o autor dos disparos percebeu que havia baleado o próprio irmão, Fábio Dias da Silva, de 33 anos. O Corpo de Bombeiros foi chamado e constatou que o invasor morreu no local.

    Câmeras de monitoramento da garagem registraram a invasão (assista acima). O vídeo mostra quando um homem passa por cima do muro do fundo, arromba a porta de vidro do escritório e entra no cômodo. Quando está por trás de uma mesa, ele cai – é o momento em que o invasor é baleado.

    De uma entrada por de trás da mesa, um homem aparece com uma arma curta na mão direita. Logo mais, outro homem chega pela porta arrombada com o que parece ser uma espingarda na mão.

    Segundo registrado pela Polícia Militar, um funcionário da garagem estava no local e contou que o patrão atirou sem ver quem era o invasor, até porque estava tudo muito escuro, e só depois é que reconheceu o irmão caído ao chão.

    Fábio Dias da Silva, 33 anos, morto a tiros em garagem de Goiânia

    De acordo com o depoimento do funcionário, o patrão ficou desesperado quando notou que havia matado o próprio irmão e ligou para a PM e familiares.

    Segundo a PM, o dono da garagem não foi encontrado no local do crime, mas o advogado dele estava no estabelecimento e informou que o cliente se apresentaria à Polícia Civil mais tarde. Policiais militares informaram à TV Anhanguera que a arma usada pelo empresário é registrada.

    A corporação, que investiga o caso, informou que ainda não é possível afirmar se Fábio havia entrado no local com a intenção de cometer furto ou outro crime.

    Também de acordo com a Polícia Civil, até 12h40, o dono da garagem não havia se apresentado, mas que o defensor dele já estava em contato com a Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH).

    O G1 não conseguiu o nome ou contato desse advogado para pedir um posicionamento sobre o caso.

    A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que Fábio estava respondendo pelo crime de receptação na Casa do Albergado até 3 de maio de 2020, quando foi colocado em liberdade por alvará concedido pela Justiça.

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.