• Publicado em

    Família de Jataí pede ajuda para pagar tratamento de estudante de direito que sofreu trauma na cabeça após acidente

    José Luís Alves Ferreira, de 28 anos, perdeu os movimentos, não fala e precisa de cuidado em tempo integral. Terapias podem ajudar na recuperação do rapaz.

    Compartilhe!

    De acordo matéria do G1 GO, a família do estudante de direito José Luís Alves Ferreira, de 28 anos, pede ajuda para pagar o tratamento e as despesas de cuidados com o rapaz, que sofreu um acidente de carro no início deste ano. O servidor público Marcos Alves, irmão do jovem, contou que a família tem renda mensal de pouco mais de R$ 3,5 mil, mas os gastos no último mês ultrapassaram R$ 10 mil.

    “Os médicos trabalham com duas possibilidades, nas perspectivas otimistas, ele vai precisar de um ano de tratamento, e na realista, pelo menos dois anos de reabilitação”, pontuou Marcos.

    A família mora em Jataí, no sudoeste de Goiás, e o irmão conta que o estudante ficou pouco mais de um mês internado por causa de um traumatismo cranioencefálico grave (TCE), e chegou a ir para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Marcos falou que o acidente afetou a parte motora e cognitiva de José, que não fala e perdeu os movimentos.

    “A região do cérebro afetada atinge algumas funções relacionadas à fala, linguagem, compreensão, memória… Ele perdeu a fala, apesar de você conversar com ele, ele entende, mas não entende completamente, tem uma compressão parcial e relativa e não consegue se comunicar”, mencionou Marcos.

    A família contou que José precisa de fisioterapia e tratamento com uma fonoaudióloga, para recuperar a parte motora e neurológica. Além disso, precisa de cuidados em tempo integral e a família tem gastos com medicamentos, fraldas, e o valor das despesas da casa aumentou.

    “O nosso desafio é ao longo prazo, no tipo de lesão que ele teve a recuperação é demorada, é uma região sensível. A parte neurológica precisa de um tempo e um serviço prolongado”, disse o irmão.

    Segundo Marcos, José conseguiu tratamento com uma fisioterapeuta no Sistema Único de Saúde (SUS), por dois dias na semana. Mas para acelerar o tratamento, a família precisa pagar uma profissional nos demais dias da semana. Além disso, eles falaram que precisaram contratar um profissional para ajudar nos cuidados do rapaz.

    “Até agora, ele recuperou só recuperou o movimento parcial do braço esquerdo. Só a parte de motricidade grossa, que os médicos chamam. E um pouco de firmeza no pescoço. Com o tratamento, os movimentos podem voltar, por isso a importância dele ter fisioterapia todos os dias”, falou o irmão.

    O acidente

    O acidente aconteceu no dia 2 de janeiro deste ano, perto de Acreúna, no sudoeste de Goiás. José Luís e mais quatro pessoas estavam em um carro, que colidiu na traseira de um caminhão, os demais passageiros tiveram ferimentos leves, mas o rapaz sofreu o TCE.

    “Os médicos relataram que o estão de saúde dele era gravíssimo, todos os médicos falaram que era delicado e até hoje todos falam que é um milagre ele estar vivo. Só dele estar com a gente e uma vitória imensa”, disse Marcos.

    Depois do acidente, o jovem passou por uma cirurgia, que retirou parte do crânio.

    “Ele precisa colocar uma prótese no lugar retirado do crânio. Isso a gente consegue no SUS, mas precisamos aguardar. O neurologista recomenda que seja feita em seis meses da última”, contou.

    Antes do acidente, José morava com a mãe, mas depois Marcos, que morava em Vitória, no Espirito Santo, conta que mudou para a cidade para ajudar a família. A mãe, que era cuidadora de idosos, precisou sair do emprego para se dedicar aos cuidados do filho.

    Solidariedade

    A corrente de apoio feita para o Zé, como é carinhosamente chamado pela família e pelos amigos, já arrecadou uma quantia em dinheiro que está ajudando nas despesas. No entanto, o irmão explicou que os gastos com o tratamento podem continuar por muito tempo, por isso a família pede ajuda.

    “Ele é uma pessoa extremamente alegre. A palavra que define ele é ‘cativante’. É uma pessoa iluminada”, falou.

    Em uma rede social, o irmão criou o perfil “Desafio do Zé”, para contar a história do jovem e pedir ajuda para pagar as despesas. A foto que apresenta o projeto ultrapassa 10 mil curtidas e quase 600 comentários. Já um vídeo mostrando um pouco da rotina, tem mais de 50 mil visualizações.

    Nos comentários, os internautas desejaram melhoras para “Zé”, e força para a família.

    “O Zé é uma das pessoas mais incríveis que já conheci! Dono de um coração gigante e uma alegria que contagia todos a sua volta. Saudades meu amigo, estou orando por você”, escreveu uma internauta.

    “Quando me perguntam sobre ele, sempre digo que ele é uma pessoa diferenciada, porque realmente é. É impossível ficar ao lado do Zé sem dar uma risada, é um menino com uma luz radiante, e que transmite muita alegria pra quem tá perto”, comentou outra pessoa.

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.