• Publicado em

    Garota de programa, Bibi Perigosa teria planejado morte de PM

    Duas mulheres e dois adolescentes foram presos nesta segunda-feira (30/03) pelo crime cometido em fevereiro deste ano

    As investigações da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) sobre da morte do sargento reformado da PMDF Angelo Sebastião de Ávila apontam que as duas jovens presas nesta segunda-feira (30/03) trabalham como garotas de programa.

    Jackeline Oliveira e Beatriz Barros, esta última conhecida como Bibi Perigosa, com dois adolescentes de 16 anos teriam, segundo a PCDF, planejado e praticado o latrocínio do PM em fevereiro deste ano.

    O corpo do sargento foi encontrado esfaqueado às margens de uma estrada, em Cristalina (GO). Conforme o apurado pela 30ª DP (São Sebastião), as prostitutas conheceram o policial um dia antes do crime e pagaram uma corrida da Rodoviária de Planaltina ao município goiano de Marajó. Ele tinha o costume de realizar viagens informais.

    A corrida aconteceu como o planejado. Quando a vítima chegou ao destino, os dois menores, a pedido das garotas, embarcaram no carro. As investigações apontam que os adolescentes mataram Angelo com diversas facadas e jogaram o corpo na rodovia.

    Os suspeitos seguiram no veículo do sargento até uma estrada de terra nas adjacências do vilarejo, onde o automóvel acabou atolando e foi abandonado.

    As mulheres foram indiciadas por latrocínio e corrupção de menor. Os adolescentes foram encaminhados à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e estarão sujeitos à medida de internação por até 3 anos. A operação contou com a participação de 25 agentes de polícia e cinco delegados.

    No total, os investigadores cumpriram dois mandados de prisão preventiva, cinco de busca e apreensão domiciliar e dois de busca e apreensão de menor infrator, em Planaltina (DF), Luziânia (GO) e Marajó (GO).

    PCDF/DIVULGAÇÃOcarro
    Carro do PM abandonado pelos criminosos

    Via Metrópoles

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.