• Publicado em

    GEPATRI cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão e efetua flagrante de posse irregular de arma de fogo, em Jataí

    Policia Civil de Jataí em mais um trabalho proativo.

    Compartilhe!

    De acordo informações divulgadas pela 14ª DRPC, nesta terça-feira (03), a equipe do GEPATRI de Jataí deu cumprimento a mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão domiciliar contra o indiciado JEAN CARLOS SOUZA SILVA CAETANO, o qual é investigado em inquérito policial que apura crime furto de duas armas de fogo e cheques, tendo por vítima B.A.C., fato ocorrido nesta cidade de Jataí, no final do mês de fevereiro deste ano.

    Segundo apurado no inquérito, JEAN CARLOS tem uma empresa de instalação e manutenção de alarmes e praticou o furto no momento em que realizava serviço na casa da vítima, aproveitando-se da confiança desta.

    Inclusive, durante as buscas na residência do investigado a equipe policial localizou um dos cheques furtado, além de algumas joias que, segundo apurado, foram subtraídas nesta semana na casa de outra cliente do investigado, cujo crime foi praticado com o mesmo “modus operandi”.

    Consta, ainda, que JEAN CARLOS já vem praticando esse tipo de crime – furtos a casas de clientes – há um bom tempo, já tendo sido indiciado em pelos menos outros três inquéritos policiais que apuraram fatos semelhantes.

    Fora esses indiciamentos por furto, JEAN CARLOS também ostenta indiciamentos pelos crimes de estelionato (duas vezes) e homicídio.

    Registre-se, ainda, que durante as buscas na casa do investigado a equipe policial também localizou uma arma de fogo e munições, sem registro, sendo que JEAN CARLOS também foi autuado em flagrante pelo crime do art. 12 da Lei de Armas.

    Somadas, as penas máximas pelos crimes imputados ao indiciado (art. 155, § 4º, II, CP e arts. 12 e 14 da Lei de Armas) podem chegar ao total de 15 anos de prisão.

    Após os procedimentos legais JEAN CARLOS foi encaminhado para custódia junto à unidade prisional de Jataí, onde permanecerá à disposição do juízo competente.

    Obs.: a imagem e qualificação do(s) investigado(s) estão sendo divulgadas em razão da primazia do interesse público sobre o particular, em conformidade com os ditames da Lei n.º 13.869/2019 e Portaria n.º 02/2020 da PCGO, no caso em questão, tendo em vista ser possível que os investigados tenham feito outras vítimas.

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.