• Publicado em

    Matrículas nos cursos a distância na área de saúde superam presenciais

    Dados são do levantamento mais recente do Observatório do Ensino Superior.

    Compartilhe!

    Apesar dos impactos na educação durante o ápice da pandemia em 2020, mais de 8,6 milhões de matrículas foram registradas no ensino superior, representando crescimento de 0,9%. É o que mostra o levantamento mais recente do Observatório do Ensino Superior: análise dos microdados do Censo da Educação Superior 2020. O levantamento aponta, também, que a procura por cursos de graduação na área da saúde aumentou consideravelmente em 2020, tanto na modalidade a distância (EAD) quanto presencial.

    “Essa tendência foi acelerada pela pandemia, na medida em que a sociedade tomou mais conhecimento dos chamados heróis da linha de frente e percebeu a necessidade de mais e melhores profissionais de saúde”, destaca o diretor presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (Abmes), Celso Niskier.

    O levantamento ressalta que em 2020 os iniciantes nos cursos a distância ultrapassaram os calouros nos cursos presenciais, assim, dos mais de 3,7 milhões de novas matrículas em instituições públicas e privadas, mais de 2 milhões (53,4%) foram para cursos a distância e 1,7 milhão (46,6%) para os presenciais.

    “Acredito que vamos construir um modelo de EAD que seja bom para o país, por causa da flexibilidade, da acessibilidade que proporciona, e que garanta os padrões de qualidade exigidos”, enfatiza o diretor da Abmes. Em relação aos cursos de saúde, ele ressalta que defende as atividades presenciais e as práticas, que não é a favor de um curso 100% a distância.

    Cursos EAD mais procurados em 2020

    1. Farmácia, com crescimento de 416%
    2. Biomedicina, com aumento de 190%
    3. Nutrição, com aumento de 70,5%
    4. Enfermagem, com aumento de 30,4%

    Cursos presenciais mais procurados em 2020

    1. Psicologia, com aumento de 7,6% nas matrículas
    2. Medicina veterinária, com aumento de 6,9%
    3. Medicina, com aumento de 4,1%
    4. Odontologia, com aumento de 0,5%
    5. Biomedicina, com aumento de 2,1%

     

    Fonte: Agência Educa Mais Brasil
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.