• Publicado em

    Mulher é espancada em Maceió após dizer que não votaria em Bolsonaro

    Juliana Rezende, de 38 anos, ia votar na Escola Municipal Padre Pinho quando foi abordada por dois homens e uma mulher.

    Uma mulher denunciou eleitores do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, após ter sido agredida por dizer que não votaria no presidenciável. O caso, que ocorreu no bairro Cruz das Almas, em Maceió, foi denunciado na manhã deste domingo (7).

    Juliana Rezende, de 38 anos, ia votar na Escola Municipal Padre Pinho quando foi abordada por dois homens e uma mulher. Eles estavam dentro de um carro preto, com adesivos pró-Bolsonaro quando perguntaram: ‘E aí, é 17?’. Em seguida, a mulher respondeu que iria votar no 12, número do candidato Ciro Gomes, do PDT.

    “Eles desceram do carro e começaram a me agredir, me esmurraram, depois desceu uma mulher e também me agrediu. Depois eles pegaram o carro e foram embora”, relatou.

    De acordo com o TNH1, a mulher ainda não havia procurado a polícia até a tarde de ontem. Fonte/Notícia ao Minuto

    Notícias ao Minuto

    (Reprodução / Facebook)

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.