• Publicado em

    Polícia Civil de Goianésia prende casal suspeito de matar e atear fogo em mulher

    Na sede da DP de Goianésia, apenas Felipe confessou ter participado do crime bárbaro que chocou a população. O mesmo relatou que Naianne era sua amante e que sua esposa Juliana, teria descoberto a traição.

    No dia 04 de março deste ano, um morador da zona rural de Brazlândia-DF, encontrou um corpo de bruços numa mata à beira de uma estrada vicinal. O corpo que era de uma mulher estava parcialmente queimado e com sinais de golpes de faca, além de a vítima ter tido o cabelo cortado por uma faca.

    Após tomar conhecimento dos fatos, policiais civis da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Distrito Federal iniciaram as investigações para chegar aos autores de tal fato bárbaro  que chocou a população daquela localidade.

    De posse de informações e com o decorrer das investigações, a polícia de Brasília chegou ao nome de duas pessoas, identificadas como Felipe de Bessa Fagundes, 23, e de Juliana Pereira Ribeiro, 28 anos, sendo eles os principais suspeitos de terem cometidos tal atrocidade contra Naianne Gabriele Braz Garcia de Paula, uma moça de apenas 23 anos.

    Os autores seriam uma mulher e seu marido e, tiveram como motivação o envolvimento do homem com a vítima. Impulsionada pelo ciúme, a mulher planejou junto com o marido matar a amante deste. Assim sendo de forma premeditada, os dois marcaram encontro com a amante e quando chegaram próximo da mesma, Juliana de posse de uma faca desferiu alguns golpes e logo em seguida, com ajuda de Felipe, colocaram-na dentro de um carro e a levaram para um matagal onde atearam fogo no corpo.

    casal de Braslândia (1)Diante dos fatos, a Autoridade policial da Divisão de Homicídios do Distrito Federal representou pela prisão temporária dos suspeitos, que logo após o cometimento do crime mudaram de Estado passando a residir na Zona Rural da Cidade de Goianésia, Região Central de Goiás.

    Realizando troca de informações entre as polícias de Goiás e de Brasília, os policiais lotados na 15ª Regional de Polícia de Goianésia, começaram uma busca incansável pelos suspeitos de matarem Naianne. Depois de meses de investigações, nesta quinta-feira, 20, os policiais civis de Goianésia visualizaram a suposta autora Juliana saindo da agência da Caixa Econômica Federal.

    Assim os agentes seguiram a vítima que estava a pé por cerca de dois quilômetros. Juliana entrou em diversos estabelecimentos comerciais e em um supermercado conversou com um açougueiro de forma que os policiais desconfiaram que fosse o outro procurado Felipe. Na saída do supermercado Juliana solicitou um moto-táxi que a deixou em uma residência no setor da região Oeste de Goianésia.

    Em seguida uma equipe de policiais civis efetuou a prisão da suspeita, e simultaneamente, outra equipe realizava a prisão de Felipe no supermercado. Assim com êxito na operação que durou cerca de cinco horas, o delegado de polícia comunicou a prisão dos suspeitos para a Divisão de Homicídios de Brasília, que no começo da noite chegaram a Goianésia e fizeram a transferência dois presos para a cidade de Brazlândia.

    Na sede da DP de Goianésia, apenas Felipe confessou ter participado do crime bárbaro que chocou a população. O mesmo relatou que Naianne era sua amante e que sua esposa Juliana, teria descoberto a traição do marido e motivada por ciúmes, desferiu golpes de arma branca em Naianne. Felipe confessou ainda que com seu auxílio, Juliana ocultou e ateou fogo no corpo da vítima para que não fosse reconhecido. Já Juliana, que está na 37ª semana de gestação, nada declarou em seu depoimento.

    Vale ressaltar que há quase cinco meses policiais Civis de Goiás e Distrito Federal e Militares lotados de Goianésia realizaram várias diligência e ações conjuntas para encontrar os suspeitos que, segundo denúncia, poderiam está residindo nas proximidades de Goianésia.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.