• Publicado em

    Seis dias de terror: Lázaro Barbosa deixa rastro de crimes no DF e Goiás

    Na tarde deste domingo (13/6), o foragido furtou um carro em uma chácara de Cocalzinho, Goiás, e abandonou o veículo, um Corsa vermelho, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.

    Compartilhe!

    De acordo matéria do Correio Braziliense, as buscas por Lázaro Barbosa Sousa, 33 anos, suspeito de matar uma família em Ceilândia Norte e aterrorizar moradores, no DF e Goiás, entraram na madrugada desta segunda-feira. Já são seis dias de fuga, após Lázaro quase ser preso na rodovia BR-070, próximo à cidade de Edilândia (GO), a 82 km de Brasília. Na tarde deste domingo (13/6), o foragido furtou um carro em uma chácara de Cocalzinho (GO) e abandonou o veículo, um Corsa vermelho, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.

    Lazáro entrou na propriedade por volta das 15h. No começo da noite, o dono do imóvel foi até a base montada pelas forças de segurança, em um trevo perto da cidade de Cocalzinho, e relatou a situação. Ele contou que, ao chegar em casa, deu falta do carro, um Corsa vermelho, e encontrou a residência revirada. Por volta das 18h30, o veículo foi abandonado por Lazáro na rodovia, a cerca de 30km de distância da chácara do rapaz. No interior do automóvel, foi encontrado um carregador de munições. Policiais iniciaram uma intensa busca pela mata, usaram cães farejadores, drones e helicópteros.

    Leia também: ‘Possuído por espírito maligno’: Foragido acusado de triplo homicídio, homem também deu machadada em velhinho

    Cláudio Vidal e os dois filhos, Gustavo e Carlos Eduardo, foram mortos a facadas em casa, já a mulher foi sequestrada e posteriormente encontrada morta em um córrego.

    Lázaro é acusado de matar quatro pessoas, balear três, invadir chácaras, fazer reféns e atear fogo em uma casa — o ataque ocorreu na noite de sábado — (veja mais em rastro de crimes). Por volta das 8h de ontem, três caseiros de uma chácara afirmaram aos policiais que se depararam com o criminoso. Com facões e foices, foram fechar a porteira de uma chácara, em Cocalzinho, quando ficaram frente a frente com o suspeito, que fugiu.

    Segundo os funcionários, o homem entrou em uma mata fechada próxima ao local. Para reforçar as buscas suspeito, mais 200 policiais e 50 viaturas do Distrito Federal e de Goiás se uniram e montaram uma base no trevo de Cocalzinho. Fazem parte do grupo unidades da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), da Polícia Militar (PMDF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Federal (PF).

    Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP/GO) informou que assim que tomou conhecimento da ocorrência na região do entorno, a força-tarefa foi criada. Segundo o órgão, os secretários de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, e do DF, Júlio Danilo, coordenam os trabalhos.

    Violência

    A PMDF detalhou o rastro de violência deixado por Lázaro, anteontem. O suspeito invadiu a fazenda da família de um soldado da corporação. Segundo apurado pelo Correio, Lázaro passou a tarde em uma chácara próxima à Lagoa Samuel, onde manteve um caseiro como refém. A reportagem encontrou a mãe do caseiro em frente ao Hospital Municipal Jair Paiva. “Amarrou meu filho, o obrigou a cozinhar e a fumar maconha”, contou a senhora, que preferiu não revelar o nome.

    Lázaro teria, ainda, ingerido bebida alcoólica, destruído o carro do rapaz e cortado os fios de wi-fi. Pouco depois disso, por volta de 19h, o suspeito invadiu outra residência, baleou três pessoas, roubou duas armas e munições. Os crimes não pararam por aí. Às 23h30, enquanto a reportagem saía de Cocalzinho, policiais foram acionados para uma ocorrência de incêndio em uma residência na região. A vítima contou que Lázaro ateou fogo na casa.

    Para as buscas por Lázaro, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) contam com uma farda especial, camuflada, para entrar no matagal à procura do foragido. De acordo com a PMDF, 17 fazendas da região estão ocupadas por policiais para garantir a segurança da população. Segundo a corporação, as equipes estão distribuídas em pontos estratégicos, e as buscas ocorrem em propriedades e na mata com a ajuda de drones e cães farejadores.

    Lázaro é acusado de matar Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas. O corpo dela foi encontrado anteontem, em um matagal. O cadáver estava sem roupa e com diversos cortes, em uma zona de mata próxima à BR-070.

    Rastro de crimes

    Quarta-feira (9 de junho)

    Lázaro Barbosa Sousa, 33 anos, teria invadido residência no Incra 9, em Ceilândia Norte, por volta das 2h. Ele arromba a porta e, em menos de 10 minutos, mata Cláudio Vidal, 48, e os dois filhos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Na fuga, leva a empresária Cleonice Marques, 43 anos. Minutos antes da entrada do criminoso, a mulher ligou para o irmão pedindo socorro. O familiar chega ao imóvel em pouco tempo, mas se depara com os corpos no quarto e não encontra Cleonice. Mesmo agonizando, Cláudio consegue alertar o cunhado acerca do sequestro.

    Quinta-feira (10 de junho)

    Durante a manhã, o homem também teria entrado armado em uma residência que fica a 3km de distância da chácara onde cometera o triplo homicídio. Sílvia Campos, 40, proprietária da chácara, e o caseiro, identificado como Anderson, 18, estiveram sob a mira do criminoso por mais de três horas. No local, obrigou os cativos a fumarem maconha. O suspeito deixou a casa levando mais de R$ 200, jaqueta, celulares e carregador telefônico. Buscas por Cleonice entram no segundo dia.

    Sexta-feira (11 de junho)

    Foragido faz mais um refém (o terceiro desde o início da fuga), rouba um carro do modelo Fiat Pálio, em Ceilândia, e vai para a cidade de Cocalzinho (GO) onde, horas depois, incendeia o veículo. Lá, ele teria contado com a ajuda de um comparsa, segundo indicam as investigações. Cleonice Marques segue desaparecida.

    Sábado (12 de junho)

    Polícia encontra o corpo de Cleonice Marques em um córrego próximo ao Sol Nascente. Lázaro Barbosa Sousa passou à tarde bebendo em uma chácara próximo à Lagoa Samuel, onde manteve um caseiro de refém, obrigando-o a fumar maconha e, logo após, destruiu o carro do rapaz. Horas mais tarde, invadiu uma chácara e baleou três homens e roubou duas armas de fogo. No fim da noite, ateou fogo em uma casa em Cocalzinho (GO), trocou tiros com a polícia, mas conseguiu escapar.

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.