• Publicado em

    ‘Serial Killer do DF’ pode ter matado caseiro a tiros em Goiás antes de cometer chacina

    As buscas, envolvendo policiais civis, militares e federais entraram no nono dia nesta quinta-feira (17). Cerca de 300 policiais participam da busca, e o suspeito conseguiu balear dois deles.

    Compartilhe!

    O homem suspeito de cometer uma chacina e matar quatro pessoas de uma mesma família há uma semana em Ceilândia no Distrito Federal, também pode ter matado um caseiro, quatro dias antes do crime chocante. Lázaro Barbosa, de 32 anos, é suspeito de matar um homem na fazenda no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás. A informação é do G1.

    Ao site, o delegado Rafhael Barboza contou que o criminoso entrou atirando e não levou nada. Ele estaria usando um colete a prova de balas.

    O caso aconteceu no dia 5 de junho. No dia 9, segundo a polícia, Lázaro invadiu uma casa na região e, ao ver que uma mulher ligou para pedir socorro, matou a tiros e facadas os três homens da família, incluindo um adolescente. A mulher foi sequestrada e encontrada morta dois dias depois. Desde então, a polícia tenta prender Lázaro.

    A força-tarefa policial mobiliza mais de 300 agentes de segurança do Distrito Federal e de Goiás e virou motivo de atrito entre governadores nesta quarta-feira, 16.

    Ibaneis Rocha (MDB), do Distrito Federal, afirmou que o fugitivo “vem fazendo a polícia do Distrito Federal e de Goiás quase como de bobas”. O governador goiano, Ronaldo Caiado (DEM), respondeu no Twitter: “Que Ibaneis não se atreva a desrespeitar novamente os policiais goianos, os melhores do País. Não admito. Se ele trata policiais do DF com grosseria, minha solidariedade a eles. Em Goiás a polícia é nosso orgulho.”

    “É a primeira vez que vejo algo assim”, admitiu Ibaneis ao Estadão. “Essa caçada nos impressiona muito. São quase 300 homens atrás desse marginal e não conseguiram ainda localizá-lo. Espero que isso aconteça o mais rápido possível, para que a gente possa tranquilizar as famílias e dar a punição devida a esse marginal que vem causando tanto mal e fazendo a polícia do Distrito Federal e do Goiás quase como de bobas”, acrescentou o governador.

    Na terça, Lázaro fez uma pessoa de refém em Edilândia (GO) e trocou tiros com policiais. Ele tinha sido visto em propriedades rurais no Entorno do DF e Goiás. Além de Edilândia, ele passou por Cocalzinho de Goiás, a 115 km de Brasília.

    Para Caiado, Lázaro é um “psicopata e facínora” – e por isso é preciso “cautela” para que reféns não sejam mortos na perseguição. “Ele usa de todos os métodos que a polícia não pode usar”, declarou Caiado ao Estadão. O governador acredita que o criminoso será preso nos próximos dias. “Ele sabe muito bem que, quando entrou para Goiás, sabe que vai ser preso.”

    Nascido na cidade baiana de Barra do Mendes, a 530 quilômetros de Salvador, Lázaro já respondeu, na cidade natal, a um processo por homicídio quando tinha 20 anos. Em 2011, já em Ceilândia, ele foi condenado por estupro e roubo com emprego de arma. Ele chegou a ser preso em 2018, em Águas Lindas de Goiás, mas fugiu do encarceramento poucos meses depois.

    Relembre os crimes durante a fuga

    Na quinta-feira (10), segundo o G1, o homem invadiu outra chácara da região, rendeu o caseiro, o dono do imóvel, e a filha dele, que foi obrigada a cozinhar. A Polícia Militar informou ao site que as testemunhas contaram que ele assistiu a notícias sobre a chacina na TV antes de deixar o local.

    Na sexta (11), ele cometeu outro crime, também de acordo com o G1: roubou um carro, o incendiou e abandonou ao chegar em Cocalzinho (GO).

    No sábado (12), a fuga continuou agora em Goiás, e o suspeito dos quatro assassinatos invadiu a fazenda da família de um soldado e fez o caseiro refém, segundo o site Metrópoles. Ele teria roubado armas neste local. O homem chegou a ser localizado, trocou tiros com a polícia, mas escapou do cerco. À noite, ele fugiu para outra chácarae atirou em três pessoas que estavam acampadas. Depois, teria colocado fogo em outra chácara.

    No domingo (13), segundo a TV Globo, o proprietário de outra fazenda na região chamou a polícia e disse que encontrou sua casa revirada e que um veículo da família sumiu. Há suspeita de que Lázaro tenha estado no local. Segundo o G1, ele avistou um cerco policial, abandonou o carro, e fugiu a pé pela mata.

    Dois policiais foram baleados nessa terça-feira (15) em Goiás durante a ‘caçada’. Segundo o G1, um policial foi baleado de raspão no povoado de Edilândia, em Cocalzinho de Goiás. Já o segundo entrou em confronto com Lázaro por volta das 15h, na mesma região, e foi baleado no rosto e transferido consciente para um hospital.

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.