• Publicado em

    Vídeo: Aeroporto e outras cidades bombardeadas durante a madrugada

    Estes conflitos acontecem depois de, na segunda-feira, a Rússia ter reconhecido a independência das regiões de Lugansk e Donetsk.

    Compartilhe!

    Durante a madrugada desta quinta-feira, num discurso televisivo, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que decidiu lançar a operação militar em resposta a ameaças de “genocídio” no leste da Ucrânia vindas das autoridades de Kiev. Entretanto, várias foram as cidades bombardeadas, culminando na capital do país, Kiev, incluindo o seu aeroporto.

    As primeiras duas explosões foram registradas por volta das 03h00 (23h00 horário de Brasília), no centro de Kiev, tendo sido seguidas pelas sirenes de ambulâncias, segundo jornalistas da AFP.

    Foram também registrados bombardeios em Mariupol, Kramatorsk, Kharkiv, no leste da Ucrânia, e no porto de Odessa, situado no Mar Negro.

    Novido abaixo pode ver o bombardeio do aeroporto Ivano-Frankivsk, na capital da Ucrânia, Kiev, partilhado nas redes sociais.

    Foram ainda partilhadas imagens de explosões que aconteceram na noite de ontem em Kharkov:

    Nesta cidade, além dos bombardeios podemos ver também o vídeo de um dos mísseis disparados, partilhado no Twitter:

    Em Odessa, o porto da cidade foi bombardeado:

    A Ucrânia relata pelo menos oito mortes e mais de uma dezena de feridos nas primeiras horas da invasão russa ao país, segundo o assessor do Ministério do Interior, Anton Gueraschenko.

    “Uma mulher e uma criança ficaram feridas na região de Konopot, onde um carro se incendiou. Na cidade de Podolsk, na região de Odessa, há sete mortos, sete feridos e 19 desaparecidos como resultado do bombardeio. Na cidade de Mariupol, região de Donetsk, há um morto e dois feridos”, relatou o responsável, na plataforma Telegram.

    Repórter Mari JTI / Via Noticias ao Minuto

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.